7 graduações para quem quer trabalhar com livros

+1

Trabalhar com livros , escrevendo ou publicando-os, sempre foi o meu sonho e acredito que muita gente também tenha interesse em construir uma carreira no mercado editorial. Passar os dias fazendo parte da produção e materialização de histórias incríveis e ainda receber por isso é um sonho comum para todo leitor, certo? Existem graduações para quem quer trabalhar com livros e decidi reunir algumas delas para ajudar quem está prestando vestibular e ainda está um pouco perdido.
Gosto sempre de frisar que a escolha do curso é importante sim, mas não é tudo. Independente do curso que você escolher, é possível trilhar seu próprio caminho em direção à carreira ou ao mercado de trabalho que te interessa. Este post é apenas para dar uma mãozinha para quem está se sentindo meio perdido e gostaria de ter algumas opções.
Se você já estiver cursando uma graduação que não tem nada a ver com o que você gosta, não pense que mudar não é uma opção, mas caso existam empecilhos que te impeçam de trocar a faculdade, procure cursos de curta duração, workshops ou cursos à distância para te dar experiência na área que você realmente gosta e peso no currículo. Até um blog pode e é um belo portfólio. Não quer dizer que se você fizer um curso estará preso a ele, de forma alguma. Conheci pessoas que cursaram história e hoje são encarregadas de adquirir direitos de livros internacionais para determinadas editoras. Nada é impossível! Também posso indicar alguns cursos online relacionados ao mercado editorial que emitem certificado, caso tenha interesse não esqueça de deixar um comentário ;)
Dito isso, confira sete graduações para quem quer trabalhar com livros:

PRODUÇÃO EDITORIAL
Para quem não tem dúvidas de que trabalhar em uma editora de livros é a sua vocação, o curso de produção editorial é o caminho para mergulhar de cabeça nesse universo. Infelizmente é um curso pouquíssimo ofertado no Brasil, mas para quem mora em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Branco e Santa Maria (lugares onde existem universidades que oferecem o curso), pode ser a faculdade dos sonhos. Nessa graduação o aluno aprende como funciona todo o processo de produção do livro e, após a conclusão, deve ser capaz de exercer diversas funções dentro de uma editora, incluindo a de editor e/ou produtor editorial. É um curso para começar a viver desde cedo uma vida voltada para os livros.

JORNALISMO
Jornalismo é uma das graduações de humanas mais dinâmicas e oferece um leque de oportunidades em diversas áreas. Para o mercado editorial, por exemplo, um jornalista pode trabalhar na parte de imprensa, sendo encarregado de cuidar da imagem da editora ou até mesmo de determinado autor, é ele quem escreve e divulga releases a respeito de lançamentos e novidades da editora, ajuda a organizar eventos, se encarrega de produzir conteúdo para diferentes meios incluindo os da editora etc. Além de aprender a trabalhar com o texto, produzir conteúdo de qualidade, investigar e apurar, o jornalista é um profissional capacitado para trabalhar com assessoria de imprensa, setor importantíssimo para toda empresa que se preze.

PUBLICIDADE E PROPAGANDA
O marketing é essencial para toda empresa porque é ele quem vai fazer com que determinada marca seja atraente para o consumidor e, no caso do mercado editorial, para os leitores. Às vezes pode não parecer, mas o livro é um produto e a editora, uma empresa. Isso significa que ela precisa vender livros que gerem lucro para que ela possa se manter e continuar publicando cada vez mais livros.
Muitas vezes o jornalismo e o marketing andam lado a lado dentro de uma editora e isso é ótimo, são duas áreas que precisam conversar entre si. É o profissional de marketing o responsável por pensar em ações de divulgação do livro, montar orçamentos viáveis, press kits atraentes e inteligentes etc. É um trabalho fundamental para conquistar leitores e fidelizar aqueles que já leram alguma obra da editora.

ADMINISTRAÇÃO
Toda empresa precisa de alguém capacitado para administrá-la, lidar com a burocracia e manter o negócio rentável, e com uma editora de livros não é diferente. Essa é uma ótima opção de graduação para quem sonha não apenas em trabalhar com livros, mas em ter sua própria editora de livros. É possível fazer estágio desde cedo e ir crescendo na carreira ao longo do curso. É uma boa alternativa para aqueles que gostariam de trabalhar com livros, mas não gostam de trabalhar com o texto em si.

LETRAS
Para quem gosta de trabalhar com texto, fazer letras pode ser uma ótima escolha. Para o processo de produção do livro é preciso ter profissionais de preparação e revisão de texto. Eles são encarregados por transformar um texto de word cheio de errinhos gramaticais, de pontuação, sintaxe, coesão e coerência na obra-prima que chega até as mãos dos leitores. São eles que propõem alterações no texto, pontuam aspectos que podem prejudicar a leitura e, algumas vezes, até recomendam que o autor reescreva determinadas partes. É um trabalho fundamental para que o livro tenha qualidade e clareza.
Além disso, existe um profissional importantíssimo para o mercado editorial: o tradutor. É ele quem você deve agradecer por ler uma história norueguesa incrível, uma fanfic alemã adaptada, ou até mesmo seu romance americano favorito. A graduação em letras é uma ótima alternativa para quem gosta de mexer com texto. É um trabalho muitos vezes cansativo e árduo, mas gratificante.

DESIGN GRÁFICO
Sabe aquela capa maravilhosa que você exibe com orgulho na estante? E sabe aquele livro todo bem diagramado, fácil de ler, cheio de elementos gráficos, letras bonitas e divisões de capítulo criativas? Existe um profissional por trás desse acabamento todo: o designer gráfico. Esse é um dos trabalhos mais importantes dentro da produção do livro porque, tecnicamente, o designer é o responsável por ajudar a materializar uma história e transformá-la em um livro bonito, atraente e compreensível para o leitor. É possível fazer tanto a graduação quanto cursos técnicos e especializações na área para poder trabalhar com livros. Muitas pessoas já têm um talento nato e alguma experiência aprendendo por conta própria a utilizar alguns programas de edição, mas é sempre bom considerar uma graduação na área para poder tirar proveito do máximo de conhecimento possível. Já pensou poder falar que a arte daquele livro de sucesso é obra sua?

BIBLIOTECONOMIA
Você tem o sonho de viver rodeado de livros por toda parte e adora visitar bibliotecas e livrarias? Essa pode ser uma ótima escolha! A biblioteconomia é a graduação responsável por capacitar o aluno para organizar acervos de livros, classificá-los, conservá-los e catalogá-los. É um trabalho bem flexível, podendo ser feito em bibliotecas, museus históricos, centros de documentação e até mesmo editoras de livros. É um curso oferecido pela maioria das universidades do país e o mercado de trabalho para os profissionais da área está crescendo devido a acervos digitais e leis federais que incentivam a leitura.

Viu como existem opções de graduações para quem quer trabalhar com livros? São cursos diferentes que atendem diversos perfis e interesses. Mas repito: cada um é capaz e responsável por trilhar seu próprio caminho. O curso escolhido por você é importante, mas não vai definir quem você vai ser ou o que você tem que fazer. Repare em quantas pessoas cursam a mesma graduação e acabam em lugares completamente diferentes. Escolha aquilo que te faça sentir bem e não se prenda, procure sempre o que for melhor para você.

*Para fins de direitos autorais, declaro que as imagens utilizadas neste post não pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente com nosso contato. Atenderemos prontamente. Fonte: steppingintopm


Quer ficar por dentro de todos os posts do Nostalgia Cinza? Então assine a newsletter! É só colocar seu email, prometo não encher sua caixa de entrada <3

9 livros para escritores

+1

Por trás da escrita de uma história existe mais do que criatividade e imaginação. Escrever um livro de sucesso exige muito trabalho, dedicação, força de vontade e, por que não, um pouco de sorte também. Transformar uma ideia em algo concreto na forma de um livro não é uma tarefa fácil e toda ajuda é bem-vinda. Pensando nisso decidi reunir alguns livros para escritores lerem e encontrarem inspirações, dicas incríveis e reflexões daqueles que entendem bem do assunto.
Além de livros escritos por grandes nomes como Stephen King, por exemplo, essa lista conta com indicações de livros com desafios divertidos para estimular a criatividade, reflexões e curiosidades a respeito do mundo da escrita criativa. Alguns eu já li e adorei, outros estão na minha lista de desejados que, com toda certeza, completarão minha estante num futuro próximo. Tenho mais algumas sugestões de livros para escritores que poderiam fazer parte de um segundo post, você gostaria? Deixe um comentário caso se interesse! ;) 
Confira 9 livros para escritores e comece agora mesmo a colocar suas ideias no papel:

GUIA DE ESCRITA - Steven Pinker
"Por que há tantos textos ruins? O que se pode fazer para mudar essa realidade? É verdade que a língua está se deteriorando devido às mensagens eletrônicas e às redes sociais?
Neste livro divertido e instrutivo, Steven Pinker – linguista, cientista cognitivo, escritor e autor de vários best-sellers – repensa o manual de uso da língua, trazendo-o para o século XXI. Em vez de lamentar a decadência do idioma, listar seus motivos de irritação preferidos ou reciclar regras que povoam os manuais de cem anos atrás, ele traz ideias da Linguística e das Ciências Cognitivas como auxílio no desafio de se construir uma prosa clara, coerente e elegante.
Guia de escrita, em brilhante tradução e adaptação para o português do linguista Rodolfo Ilari, destina-se tanto àqueles que escrevem (e deveriam melhorar muito), como aos que ainda têm medo de escrever e têm curiosidade em saber como as ciências da mente podem esclarecer melhor o funcionamento da linguagem."

ESCREVENDO COM A ALMA - Natalie Goldberg
"Escrevendo sob a perspectiva tanto de um experiente professor de redação como de um praticante do Zen, o livro de Natalie Goldberg tem como objetivo estimular escritores a confiar em si mesmos e pregar uma atitude complacente e generosa para com o ofício, ao mesmo tempo conferindo à disciplina seu devido papel. Segundo a autora, nós sonhamos poder contar as nossas histórias - descobrir nossa maneira de pensar, sentir e ver as coisas antes que a morte nos leve. A escrita é um caminho para nos encontrarmos e nos aproximarmos de nós mesmos. A obra mostra como a atividade de escrever traz mais confiança e ensina a despertar."

O CLUBE DE ESCRITA DE JANE AUSTEN - Rebecca Smith
"Jane Austen é uma das escritoras mais amadas do cânone literário inglês. Seus romances mudaram os rumos da ficção para sempre, e sua escrita permanece tão fresca, divertida e espirituosa quanto nos dias em que foram publicados. Repleto de exercícios úteis, belas ilustrações e citações esclarecedoras dos romances e das cartas da autora, este livro ensinará seus métodos, dicas e truques, a partir de técnicas de planejamento e caracterização para diálogo e suspense. Seja você um entusiasta da escrita criativa às vésperas de publicar seu primeiro romance, um professor em busca de mais inspiração para suas aulas, ou um curioso à procura de informações sobre os rituais diários de Austen, este é um companheiro essencial, garantido para satisfazer, informar e deliciar."

O ZEN E A ARTE DA ESCRITA - Ray Bradbury
"Neste livro exuberante, o incomparável Ray Bradbury compartilha sua sabedoria, experiência e estímulo de uma vida de escritor. Aqui estão dicas sobre a arte da escrita dadas por um mestre do ofício. Um livro que reúne tudo, desde encontrar ideias originais até desenvolver a própria voz e o estilo, bem como leituras, impressões da infância e os bastidores da notável carreira de Bradbury como um autor fecundo de romances, contos, poemas, roteiros de filmes e peças de teatro. O Zen e a arte da escrita é mais do que um simples manual para o aspirante a escritor, é uma celebração do ato da escrita, que vai encantar, exaltar e inspirar o escritor em você."

OFICINA DE ESCRITORES - Stephen Koch
"Stephen Koch, ex-catedrático do programa de pós-graduação em redação criativa da Columbia University, escreveu esse manual da arte da ficção, fazendo observações e análises técnicas a respeito de alguns escritores, conduzindo o leitor desde o primeiro momento, o momento da inspiração, à primeira versão e à concepção do enredo."

SOBRE A ESCRITA - Stephen King
"Com uma visão prática e interessante da profissão de escritor, incluindo as ferramentas básicas que todo aspirante a autor deve possuir, Stephen King baseia seus conselhos em memórias vívidas da infância e nas experiências do início da carreira: os livros e filmes que o influenciaram na juventude; seu processo criativo de transformar uma nova ideia em um novo livro; os acontecimentos que inspiraram seu primeiro sucesso: Carrie, a estranha. Pela primeira vez, eis uma autobiografia íntima, um retrato da vida familiar de King. E, junto a tudo isso, o autor oferece uma aula incrível sobre o ato de escrever, citando exemplos de suas próprias obras e de best-sellers da literatura para guiar seus aprendizes."

VIVER & ESCREVER, Vol.1 - Edla van Steen
"Este é um trabalho sem precedentes na literatura bra­sileira. A escritora Edla van Steen teve a oportunidade de entrevistar – na década de 70 e no início dos anos 80 – alguns dos maiores romancistas, poetas e dramaturgos brasi­leiros em plena atividade literária.
'Viver & Escrever - Vol. 1' reúne 39 entrevistas com autores de diversas gerações, entre eles, grandes nomes da literatura que já não se encontram entre nós, mas que influen­ciaram uma infinidade de leitores, críticos e intelectuais."

NA SALA DE ROTEIRISTAS - Christina Kallas
"Um livro essencial para quem escreve, ou quer escrever, para TV, e indispensável para críticos e fãs.
De Seinfeld a Game of Thrones, passando por Família Soprano, Friends, Law and Order e Mad Men, as séries americanas revolucionaram a TV, conquistaram o mundo e se transformaram no palco do que há de melhor na dramaturgia hoje em dia. No centro dessa revolução está o autor e a bem-sucedida "sala de roteiristas", método de trabalho coletivo dos escritores de uma série de TV."

COMO NARRAR UMA HISTÓRIA - Silvia Adela Kohan
"Contar histórias é próprio do homem. Entretanto, transformar ideias em uma narrativa requer técnica apurada. Em "Como narrar uma história" a autora explica, passo a passo, como você pode construir um argumento e dar-lhe a devida forma literária por meio de um sentimento, uma sensação, uma imagem ou uma memória. Com abordagem prática, este volume trata de questões como: o trabalho com as ideias; os passos para a construção da história; a criação de uma atmosfera; as diferentes formas narrativas e muito mais."

*Para fins de direitos autorais, declaro que as imagens utilizadas neste post não pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente com nosso contato. Atenderemos prontamente. Fonte: rebloggy.
.


Quer ficar por dentro de todos os posts do Nostalgia Cinza? Então assine a newsletter! É só colocar seu email, prometo não encher sua caixa de entrada <3

Resenha: O que é lugar de fala?



Em um mundo de tantos extremismos, Djamila Ribeiro mostra como é possível se posicionar e defender uma causa sem agressividade e com muita classe. Buscando definir melhor esse conceito, “O que é lugar de fala?” nos leva em uma breve viagem no tempo, nos apresenta mulheres importantíssimas para a ideologia feminista e nos faz refletir sobre nosso papel – mesmo que inconsciente e velado – em uma sociedade desigual. Um livro extremamente necessário e brilhante.
Quer saber o que achei do livro? Então confira a resenha de O que é lugar de fala?:

“Muito tem se falado ultimamente sobre o conceito de lugar de fala e muitas polêmicas acerca do tema têm surgido. Fazendo o questionamento de quem tem direito à voz numa sociedade que tem como norma a branquitude, masculinidade e heterossexualidade, o conceito se faz importante para desestabilizar as normas vigentes e trazer a importância de se pensar no rompimento de uma voz única com o objetivo de propiciar uma multiplicidade de vozes. Partindo de obras de feministas negras como Patricia Hill Collins, Grada Kilomba, Lélia Gonzalez, Luiza Bairros, Sueli Carneiro, o livro aborda, pela perspectiva do feminismo negro, a urgência pela quebra dos silêncios instituídos explicando didaticamente o que é conceito ao mesmo tempo em que traz ao conhecimento do público produções intelectuais de mulheres negras ao longo da história. Em Aprendendo com o outsider within: a significação sociológica do pensamento feminista negro, Patricia Hill Collins fala da importância das mulheres negras fazerem um uso criativo do lugar de marginalidade que ocupam na sociedade a fim de desenvolverem teorias e pensamentos que reflitam diferentes olhares e perspectivas. Pensar outros lugares de fala passa pela importância de se trazer outras perspectivas que rompam com a história única."







FICHA TÉCNICA 
Título: O que é lugar de fala?
Autora: Djamila Ribeiro
Ano: 2017
Páginas: 115
Idioma: Português
Editora: Grupo Editorial Letramento
Nota: 5/5
Compre: Amazon
Comprando por esse link você ajuda e incentiva o Nostalgia Cinza
LIVRO CEDIDO PELA EDITORA




O que é lugar de fala? é o primeiro livro da coleção Feminismos Plurais, que contará com diversos livros escritos por mulheres negras e indígenas e homens negros de diversas regiões do Brasil. A proposta é reunir em uma coletânea pequenos volumes escritos por intelectuais de grupos historicamente marginalizados. Alguns dos assuntos abordados envolvem encarceramento, racismo estrutural, branquitude, lesbiandades, mulheres, indígenas e caribenhas, transexualidade, afetividade, empoderamento etc. O segundo volume da coleção já está sendo lançado e se chama “O que é encarceramento em massa?”. Ou seja, só assunto polêmico, impactante e extremamente necessário.
Djamila Ribeiro, muito conhecida por sua militância nas redes sociais e como colunista do site da Carta Capital, mostra a que veio em “O que é lugar de fala?”. Em uma época em que todo mundo tem muito para opinar e pouco embasamento histórico, sociológico e científico, Djamila volta às raízes do feminismo e de parte da história do movimento de empoderamento das mulheres negras para explicar esse conceito que chegou a ser banalizado em meio a tanta discussão.


“Ainda é muito comum se dizer que o feminismo negro traz cisões ou separações, quando é justamente o contrário. Ao nomear as opressões de raça, classe e gênero, entende-se a necessidade de não hierarquizar opressões." p.13 

Djamila deixa claro suas opiniões e posicionamentos com relação a diversos tópicos abordados no livro, mas sempre tomando como base alguma filósofa, dados estatísticos, pesquisas e relatos históricos de feministas e, principalmente, feministas negras. Sua forma de conduzir a leitura revela seus anos de estudo e engajamento na causa de forma natural e extremamente inteligente. A autora sabe do que está falando e fica clara sua preocupação em tentar esclarecer o leitor a respeito do conceito de lugar de fala. Mais do que defender um lado, Djamila mostra a empatia de se colocar no lugar do outro e entender que cada pensamento, argumento e experiência é derivado de fatores sociais e históricos.
“O que é lugar de fala?” aborda questões como feminismo negro, diferenças de discursos dentro do próprio feminismo, desigualdade social, machismo, opressão de gênero, tentativas de deslegitimação, racismo, posição social etc. Todas importantíssimas para entender o contexto geral da ideologia feminista e do próprio conceito de lugar de fala.



A diagramação com o texto bem dividido nas páginas, a escolha da fonte e do tamanho reduzido do livro contribuem para uma leitura mais dinâmica. É fácil se sentir imerso nos pensamentos de Djamila Ribeiro e passar as páginas.
Apesar de ser escrito quase em forma de texto acadêmico e ser recheado de citações, é um livro de leitura fácil, perfeitamente compreensível e extremamente didático. Mesmo quem afirmar não se identificar ou concordar com determinado posicionamento pode entender perfeitamente o que Djamila está falando. Ela não apenas emite opiniões, mas fornece fatos e dados que embasam argumentos e justificativas.

Com um formato de bolso de 10x15cm, “O que é lugar de fala?” é um livro pequeno, breve e fácil de ler que tem como objetivo atingir todas as classes sociais, todas as camadas da população. Em uma sociedade pouco leitora, iniciativas como essa, de apresentar temáticas complexas e importantíssimas de forma acessível e didática são pequenos tesouros que merecem destaque.








“O propósito aqui não é impor uma ideologia da verdade, mas de contribuir para o debate e mostrar diferentes perspectivas." p.15 


 “O que é lugar de fala?” é um livro extremamente necessário para compreender melhor o feminismo e o racismo muitas vezes velado e mascarado. Não é um livro militante no sentido de atacar ou buscar alienar o leitor, muito pelo contrário. É um livro que busca esclarecer e colocar um megafone nas mãos daquelas que, por séculos, foram obrigadas a se calar. “O que é lugar de fala?” propõe um diálogo importante para todos. Se você acha que é exceção, então esse livro é pra você mesmo. Djamila Ribeiro pega o leitor pela mão e diz “senta aqui, deixa eu te explicar o porquê desse alvoroço todo”. E ela faz isso muito bem.

Se você gostou da resenha e quer conhecer mais um livro incrível escrito por uma mulher, confira a resenha de Somos Guerreiras!

“Pensar em lugar de fala seria romper com o silêncio instituído para quem foi subalternizado, um movimento no sentido de romper com a hierarquia." p. 90



Quer ficar por dentro de todos os posts do Nostalgia Cinza? Então assine a newsletter! É só colocar seu email, prometo não encher sua caixa de entrada <3

recent posts

Like us on Facebook

Twitter