Ossos do ofício

16:36

Sobre alguns hábitos estranhos que o gosto pela leitura me deu de presente


            Eu tenho um vício. Admito. Acho que o primeiro passo é admitir que temos um problema; e eu tenho um.
            Cada pessoa tem umas manias estranhas, pequenos vícios peculiares. Eu mesma tenho várias manias que gostaria de deixar para trás, algumas são bastante comuns e facilmente compreensíveis. Mas tenho um vício que me persegue e que quase ninguém entende. Nem sei bem se essas confissões podem ser definidas como vícios. Acho que estão mais para características chatas e de revirar os olhos.
            Leio bastante, isso todo mundo já sabe. Mas esse amor pela leitura me trouxe um vício ordinário: só consigo ler livros físicos e meus. Em outras palavras, preciso necessariamente comprar o livro que quero ler. Não adianta pegar emprestado, não curto. Isso é uma droga e vou explicar o porquê.
            O primeiro motivo é bem óbvio; não é fácil bancar alguém que lê muito, muito menos no Brasil onde os livros não são tão baratos. Acabo tendo que juntar uma quantidade razoável para gastar quase tudo numa única ida à livraria ou em uma rápida passada num site qualquer. A ansiedade é outro motivo que me prejudica muito. Como leio muitas séries e sagas, sempre estou esperando um novo lançamento, e muitas vezes demora um pouquinho até o livro chegar no Brasil. Enquanto isso, o livro já está na internet há séculos zombando desse meu pseudo-TOC. Sou obrigada a ver spoilers bombásticos e novidades imperdíveis enquanto sofro no aguardo da boa vontade das editoras brasileiras. Como todo louco tem suas loucuras, também não consigo “misturar idiomas”. Se eu comecei a ler uma saga em português, tenho que lê-la em português até o último livro. Assim também com o inglês. Vai entender. Não sei se na minha cabeça as histórias, personagens e falas vão ser diferentes, só sei que não é a mesma coisa.
            Por que tudo isso acaba valendo a pena pra mim?
            A sensação de levantar da cama de madrugada numa noite de insônia e olhar para aquela prateleira enorme e cheia de livros para escolher, é calmante. Poucas coisas são melhores do que deitar no sofá em uma tarde meio preguiçosa, pegar um copo bem gelado de Coca e passar as páginas de um livro maravilhoso. O cheiro de livro novo é algo único. Um bom leitor sabe o prazer que é abrir na primeira página de um livro novo e meter o nariz ali. Sentar na frente de um computador ou tablet não é a mesma coisa, longe disso.
            Quando recebo a notícia de que um lançamento finalmente chegou na livraria, me sinto como Usain Bolt correndo de maneira inexplicável para chegar lá o mais rápido possível. Quando entro no site da Saraiva e vejo que aquele livro que eu esperei por meses finalmente está no estoque, posso muito bem ser um daqueles loucos na bolsa de valores desesperada paa fechar logo a compra. E quando o porteiro liga pra avisar que tem uma caixa me esperando lá embaixo? Nada supera a sensação de abrir aquela caixa de papelão e tirar aqueles livros que ainda nem chegaram nas livrarias.
            Como muitas vezes (praticamente todas as vezes) as capas da mesma saga são diferentes quando publicadas em inglês ou português, não consigo comprá-las se não seguirem o mesmo estilo. Essa é, talvez, a mais esquisita das minhas manias envolvendo livros. Sou extremamente categórica com a minha estante e minhas prateleiras.
            Acho que só estava precisando colocar essas confissões pra fora mesmo. Sei que muita gente não vai entender e provavelmente deve ter revirado os olhos várias vezes. Mas sei também que existem muitos loucos como eu por aí, vai que um deles está lendo essa crônica e não estou sozinha nisso tudo?
            Sim, eu sei. Eu tenho um problema. Mas sabe? Não estou a fim de mudá-lo. Ou melhor, mudá-los. A leitura me trouxe tanta coisa boa que, honestamente, não ligo de ter algumas manias esquisitas e alguns hábitos estranhos quando meus livros estão envolvidos. Tem tanta gente fazendo cada loucura por aí, gastar meu dinheiro com livros não vai prejudicar ninguém. E quer saber? Ler é bom demais para tentar mudar qualquer coisa a respeito.
            Agora, se me dá licença, vou ali cheirar um livro novinho e pesquisar alguns lançamentos.

Gostou da crônica? Não deixe de comentar.  

You Might Also Like

2 comentários

  1. amei a cronica e o blog, estou seguindo pra acompanhar sempre.
    beijos
    http://naoaocontrario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha gostado! E seja bem-vinda ;)

      Excluir

recent posts

Like us on Facebook

Twitter