O fim de uma era

17:44

Um último adeus a uma rede social que marcou minha vida


Já fazia pouco mais de um ano que eu tinha abandonado de vez o Orkut. Não sentia tanta falta assim mais. Quase não ligava. Quase.
            Hoje recebi a notícia de que o Google tiraria o Orkut do ar esse ano, seria o fim definitivo da rede social mais conhecida por muitos dos usuários antigos da internet brasileira. Tudo bem, o Orkut já não era mais o mesmo, já fazia uns dois anos que praticamente ninguém entrava no seu perfil e quem ainda usava o site tinha que escutar umas boas risadas daqueles que migraram há tempos. Sei disso tudo. Mas ainda fiquei surpreendentemente chateada quando vi que o Orkut iria acabar de vez.
            Eu tinha acabado de criar o MSN, aquele antigo mesmo, quando meu primo me convidou para entrar no Orkut. Naquela época, não era qualquer um que podia criar uma conta e pronto. O Orkut ainda recebia seus usuários através de convites e só quem recebia um convite de um usuário poderia criar um perfil no site e assim convidar mais amigos. Quando criei a minha conta, não fazia ideia de como iria usar aquilo ali, era tudo muito novo pra mim. Eu era bem nova então tive tempo de sobra para começar a fuçar tudo daquele site. A partir daí, tudo só evoluiu.
            As comunidades foram o que me fizeram ficar de vez no Orkut. Eu passava horas procurando comunidades com títulos engraçados e ficava louca para participar como se aquilo acrescentasse muito à minha vida. Fui adicionando os amigos que conseguiam entrar no site e ficava desorientada com o limite de 25 fotos. Com o tempo, o site começou a ficar pequeno demais para mim. Mas isso não durou muito.



            O Orkut começou a crescer e cada vez mais pessoas ficavam loucas para entrar naquela comunidade, até que o acesso por convite acabou. Foi um estouro. O número de pessoas que começaram a entrar no Orkut era absurdo e empolgante para quem crescia com o avanço dessa rede social. Se contentar apenas com o seu perfil pessoal no Orkut já não era mais o suficiente. Nasceu a era dos fakes.
            Naquela época, os ídolos pop estavam em todo lugar, inclusive no Orkut. Algumas pessoas começaram a criar perfis dedicados aos seus ídolos e isso não parou mais. Só que não bastava mais criar um perfil dedicado ao ídolo, você queria assumir outra identidade. Agora para fazer amigos, você não precisava se importar em tirar uma foto bonita para colocar de perfil, seus ídolos faziam isso por você. Lembro que criava vários perfis com personalidades diferentes, era como se em cada perfil eu pudesse me identificar com alguma coisa. As comunidades cresciam cada vez mais e ficaram mais divertidas. Era impossível passar pouco tempo nelas. Elas começaram a representar grupos específicos e ao mesmo tempo variados, qualquer um podia se identificar com algum grupo, com alguma comunidade.
            Uma coisa que sempre me impressionou foi a quantidade de pessoas que abraçaram essa rede social. Eu participava de várias comunidades e em cada uma delas havia um grupo gigantesco de pessoas. Era inacreditável. Naquela época, com essa coisa de redes sociais ainda surgindo, ficava surpresa com a facilidade de conversar com alguém que morava tão longe de mim. Conheci pelo menos uma pessoa de cada estado e às vezes algumas pessoas nem no Brasil moravam. Para mim, o Orkut marcou o começo da minha vida na internet, porque comecei ali e nunca mais me desconectei.
            A “era fake” durou anos. Muita gente não conhecia esse mundo à parte do Orkut, mas quem conheceu sabe do que estou falando. Aquilo era simplesmente fantástico. Conheci tanta gente legal que acrescentou tanto à minha vida... Como toda dona de um perfil fake que se preze, tive meus casinhos no Orkut e vivi histórias incríveis, algumas até evoluíram para a “vida real”. Coincidências maravilhosas e casos engraçadíssimos nunca faltaram pra mim enquanto acessava meu perfil. Tive minhas decepções também, claro. Mas faz parte.
             O Orkut me marcou tanto porque foi o site que começou a me direcionar. Deixa eu explicar... Na época dos fakes, existiam as chamadas doações de fotos e os perfis mais populares eram aqueles que editavam as fotos e disponibilizavam as edições nos seus álbuns – o limite de fotos havia acabado, graças a Odin. Comecei a usar o PhotoFiltre Studio e o Photoshop nessa época; descobri que aprendia rápido os tutoriais e os perfis começaram a fazer sucesso. Meu gosto por fotografia começou ali já que comecei a tirar algumas fotos para postar e vi que minhas edições não era as piores. Além disso, foi participando das comunidades que percebi que era boa nos debates, que eu sabia argumentar. Os assuntos sobravam nas comunidades e gente para debater não faltava. Além de oferecer discussões, as comunidades também serviram de jornal para mim que naquela época não gostava de ler notícias do jeito convencional.
            Mas acho que a maior contribuição que o Orkut me deu, foi o hábito de escrever. Foi no Orkut que descobri que eu sabia escrever e que eu amava aquilo. Comecei lendo fanfics, web novelas. Me apaixonei logo de cara. Passava horas do meu dia lendo histórias inventadas por meninas da minha idade. Era tudo muito democrático; você não precisava ter o perfil mais pop ou ser conhecida em uma comunidade, você escrevia um capítulo de uma história, criava um tópico, postava ali e pronto, esperava. Li algumas histórias e antes que eu me desse conta, estava escrevendo as minhas. Postava como quem não quer nada e com o tempo percebi que as pessoas gostavam das minhas narrativas e algumas até pediam mais. Criei minha própria comunidade onda postava minhas fanfics e vi meu trabalho crescendo devagar, aos poucos. Quando me dei conta, não escrevia mais fanfics, escrevia histórias com personagens criados inteiramente por mim, sem inspirações externas. Nunca mais parei.
            Gostava de participar também de comunidades de leitores. Muitos dos meus amigos amavam ler como eu então nunca faltava indicações. Acho que foi ali que comecei a escrever minhas primeiras resenhas, apenas para mandar para um ou outro amigo. Enquanto na escola muitos achavam ridículo ler tanto e tentavam me desmotivar, no Orkut eu tinha um incentivo sem igual. Conheci pessoas que gostavam de ler e por causa delas continuei. Sou extremamente orgulhosa por nunca ter parado e os mesmos que zombavam de mim por ler, hoje me pedem ajuda para escrever redações e interpretar textos. Ler não leva a lugar nenhum, né?
            Hoje posso dizer que sou viciada em redes sociais. Mesmo não gostando muito do Facebook, tenho minha conta, estou no Tumblr, Twitter, Instagram, Pinterest, Skoob, We Heart It, Blogger, etc. E foi por causa do Orkut que conheci essas redes sociais, direta ou indiretamente. O Tumblr, que com o Twitter é minha rede social favorita, apareceu pra mim em uma comunidade no Orkut e com alguns amigos. Minha escrita evoluiu ainda mais porque naquela época o Tumblr era o lugar dos escritores, dos textos dramáticos e expressivos. O Twitter se tornou um complemento do Orkut. Até conta no Formspring eu já tive porque todo mundo no Orkut tinha.



            A última – e talvez a mais especial – etapa foi a das irmandades. Entrar para uma irmandade era algo exclusivo e muito animador. Existiam irmandades para uma saga, uma série, um ator, uma atriz, tudo. Mas para entrar em uma irmandade, você precisava passar por toda uma seleção para se mostrar digno, só um fã de verdade conseguia. As seleções das grandes irmandades duravam quase um mês e dezenas de pessoas participavam, era uma questão de status e fanatismo. A seleção que eu participei era para uma irmandade dedicada à atriz Nina Dobrev e a seleção apareceu para mim por acaso. Eu conhecia duas ou três meninas que participavam da irmandade e não deixei a chance escapar. Passei na minha primeira tentativa e foi uma das melhores coisas que aconteceram para mim em todos os anos em que eu usei o Orkut. Conheci garotas maravilhosas que se tornaram essenciais na minha vida a partir de então. As séries que comecei a assistir eram indicações das sisters, alguns livros também. A gente passava madrugadas conversando e rindo sobre as coisas mais inúteis. Cada uma morava em uma parte do país, cada uma tinha um jeito diferente, uma personalidade diferente, e nada disso impediu que um vínculo incrível se formasse. Isso é o que eu mais sinto falta. O Orkut me apresentou pessoas maravilhosas que levo até hoje comigo. Algumas coisas nunca mudam, assim eu espero.
            Foi conversando com uma das minhas amigas de Orkut que criei coragem para viajar “sozinha” pela primeira vez e essa foi uma das melhores decisões que já tomei em toda a minha vida. Criei coragem de viajar para os Estados Unidos com um grupo que não havia trocado mais do que algumas palavras e foi uma experiência fantástica.
            Passei anos frequentando assiduamente o Orkut e não me arrependo de absolutamente nada. Vi o Orkut mudando de todas as formas possíveis e continuei mesmo quando uma enorme parcela migrou para o Facebook e para outras redes sociais. Eu, assim como a outra minoria, fiquei no Orkut até quando foi possível. E foi ótimo enquanto durou.
            Com o tempo, a graça já não era mais a mesma. As outras redes sociais me satisfizeram mais. Eu amadureci e procurei outros lugares para compartilhar meus novos gostos e talentos. Sempre que batia uma nostalgia básica, voltava ao Orkut e passava pelas comunidades e perfis de amigos. É triste saber que não vou mais poder fazer isso depois de Setembro, aquele cantinho gigante não vai mais existir nem pra mim nem pra ninguém.
            Acho que como tudo na vida, o Orkut tinha que acabar uma hora ou outra. Mas fico feliz em saber que estive presente em cada momento, que cresci com essa rede social, que pude acompanhar tudo de pertinho, de dentro. O Orkut significou para a minha geração, o que o Facebook hoje significa para a geração que está começando a navegar na internet. É nostálgico ter que visitar pela última vez coisas que fazem parte de você, que te marcaram de maneira irrevogável. Mas fazer o que? Sou grata por tudo o que aprendi nesse site, por todas as pessoas incríveis que eu conheci, por todas as histórias que tenho para contar e por tudo o que eu tive oportunidade de viver. Acredite ou não, o Orkut foi fundamental para a minha futura vida profissional e definitivamente fundamental para a minha vida pessoal.
            Sim, foi só uma rede social. Mas foi a rede social responsável por moldar a minha adolescência e grande parte da minha personalidade. Novas redes sociais vão surgir e o Orkut vai acabar sendo esquecido por quase todo mundo. Quase.


E você? Viveu essa época maravilhosa do Orkut? Vai sentir falta?

You Might Also Like

21 comentários

  1. Gente ): Eu nunca, nunca mesmo, me identifiquei tanto com um texto quanto com esse. Você foi falando tudo o que viveu, como conheceu o orkut, do fake, das edições, da irmandades e eu "mano, eu contei isso pra Laura e esqueci?". Cara, af, sério, eu nem estava ligando muito pra isso, mas me deu saudades agora. E as competições de textos, como que ficam? E criar um personagem fake pra interpretá-lo? E competição de avatares, banners (que eu só assistia porque nunca soube fazer)?

    Mas concordo com você, o orkut trouxe muito pra mim também. Muitas amizades que trago comigo foram dessa época e pretendo visitar cada uma. Inclusive você, lembra? A gente começou a se falar no tumblr - acho -, mas passamos um tempo no fake asjdknfakldsjnfalkjn. Ai, gente. Amei, apenas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nanda, adoro quando você comenta no blog <3 A gente passou uma época se falando no fake também, né? Nos conhecemos no Tumblr, mas o Orkut também fez parte, é verdade.
      Obrigada por comentar <3

      Excluir
    2. Competições de avatares <333

      Excluir
  2. No orkut dava pra ver quem eram seus stalkers, gente!!! Saudadessss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sdd dos stalkers mesmo .. hahaha :)

      Excluir
    2. Verdade!! Visitantes recentes sempre ajudando KKKKK

      Excluir
  3. Adeus orkut, foi muito bom enquanto durou.
    Sessão nostalgia, meu primeiro namorado foi através do orkut. kkkk

    La Vie est Belle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei bem como é KKKKK O Orkut vai fazer falta.

      Excluir
  4. Já não usava mais o orkut há anos, desde 2008, mas o Fake e fanfic aahhh.. <3

    www.namesmafrequencia.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fake e fanfics, melhor coisa na época ahaha

      Excluir
  5. Gente, o que dizer desse blog que mal conheço e já considero pakas, hahah!
    É sério, conheci seu blog hoje e já estou amando... As crônicas, os devaneios, as resenhas... Tudo!
    Parabéns!
    E sim, eu sentirei muita saudade do Orkut, lá, onde tive meu primeiro contato com as redes sociais, com pessoas diferentes, com o mundo...Mas, acho que por um lado estou meio feliz, acho que, finalmente, lembranças ruins serão destruídas, sei lá...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MUITO obrigada por esses elogios, você fez meu dia! Espero que continue visitando o blog, comentando nos posts e me dizendo o que está achando. Obrigada <3
      É, esse é um lado positivo. Momentos ruins vão ser apagados, literalmente. Mas espero que os bons fiquem gravados na memória ;)

      Excluir
  6. Nossa, velho! Muito foda essa nostalgia. Que sensação mais esquisita. Ao mesmo tempo que é boa, não é. Saudade, demais. Quem vê de fora, pensa: ''Que bosta!'' Mas não! Não é assim. Fake, do jeito que a gente fazia, era foooooooooda! Conheci pessoas de vários lugares. Inclusive pessoinhas que moravam em Portugal, Polônia, Espanha... Meu Deus! E de Sampa então... Nem se fala! Hahah Mas... é... me respoda uma coisa, tem algum outro lugar que o pessoal anda com fake?

    ResponderExcluir
  7. Sem explicações para como você descreveu. Os mesmo sentimentos, as mesmas histórias, descreveu perfeitamente o que passei no fake, total nostalgia não ter mais, por mais que eu não tivesse tempo, de vez em quando dava uma passada por lá para saber notícias. E agora? :'( Me disseram que estão usando o vk, mas não, nunca, jamais, será a mesma coisa.

    ResponderExcluir
  8. Eu lembro muito bem disso tudo mesmo, que coisa maravilhosa relembrar disso tudo, que saudades, eu as vezes chego até chorar de tantas saudades mesmo, eu lembro que quando o orkut foi lançado e a era fake criada na época que entrei nesse mundo chamado fake, naquele tempo la no começo a modinha era Sobrenatural quem acompanha a série ira entender o que digo, na época não tinha perfis ou seje abouts HTML e PSD, ai depois tudo foi mudando com o tempo do site, eu no fake sempre fui o Jon Bon Jovi o original, quem teve fake vai lembrar do perfil que eu tive, HAHAHA, saudades demais, bem que poderia voltar o orkut faz muita falta pra quem madrugava na net anoite toda praticamente, dava boas risadas.

    ResponderExcluir
  9. Poxa, e eu estava aqui lembrando da época do fake e me perguntei onde foi parar aquele mundo onde vivi por 4 anos? Aí fui procurar no Google kkkkk achei esse texto maravilhoso!
    Eu abandonei o fake pouco tempo antes do orkut sair do ar... Poxa, uma pena que tenha acabado, mas com certeza fez bem pra muita gente viver conectado com pessoas especiais espalhadas pelo Brasil todo. Sinto MUUUUUUUUUUUUUUITA saudades daquele tempo, de verdade.

    ResponderExcluir
  10. GENTE O ORKUT VOLTOU PODEMOS VOLTAR COM OS FAKES TAMBEM!

    ResponderExcluir
  11. Meu Deus sinto tanta saudade que chega a apertar... Só quem vivenciou tudo isso sabe o quanto era "mágico". E quem teve fake então? Um amor puro! Tenho casos que jamais esquecerei, queria muito ter o contato de alguns pra saber como estão e pra relembrar tudo! Acho que nós todos que sentimos falta do pessoal do FAKE poderíamos criar alguma página, alguma coisa do tipo pra podermos reencontrar a galera! Seria meu sonho...

    ResponderExcluir
  12. Que saudade dessa época!!! Alguém sabe se os perfis fakes foram transferidos para o facebook? Já que não existe mais orkut...

    ResponderExcluir

recent posts

Like us on Facebook

Twitter