Uma lembrança de Natal

13:37

O cheiro de biscoitos e comida no forno aqueciam a cozinha e sua ansiedade. Ela pulava nas almofadas e o banco rangia, só faltava escalar a mesa para o desespero de sua mãe e de sua avó. Ela olhava para fora da janela tentando enxergar algo na escuridão através dos grossos flocos de neve.
A cozinha ainda estava relativamente vazia. Sua mãe ajudava sua avó a terminar de preparar a grande ceia da noite, seu pai zanzava pela casa observando tudo e seu avô sentava imponente na cabeceira da mesa. Logo a casa estaria cheia e barulhenta; ela mal podia esperar.
Seu avô, percebendo a ansiedade da pequena, tentou distraí-la. Esticou seu único braço e pegou três nozes com sua mão. Sua mão era grande e seus dedos grossos e fortes, não demorou muito para capturar a atenção da neta. Em questão de segundos um estalo forte preencheu o relativo silêncio da cozinha e ela viu estupefata as três nozes rachadas e abertas na mão do velho. Correu com suas perninhas pelo banco até chegar ao avô e pediu, como só crianças sabem, para que ele repetisse o ato de novo e de novo. Tentou fazer o mesmo mas nem com as duas mãos conseguia fazer força. Pronto, ela estava distraída.
A neve caía grossa e constante do lado de fora. Aquele seria um inverno longo e rigoroso. Com certeza a autobahn estaria arisca nos dias seguintes, mas ela sabia que muita neve significava muitos bonecos de neve e vizinhos construindo iglus em que ela poderia entrar para brincar.
– Acho que ele chegou – Ela ouviu sua avó dizer em alemão. 
A menina saltitou no banco derrubando algumas almofadas e correu até a janela. Faróis altos e grandes se aproximaram o enorme celeiro e o som grave do caminhão cessou. Ela não conseguiu enxergar muito naquele breu, mas alguns instantes depois viu um vulto se aproximando da porta. Ela deu um gritinho infatil e pulou do banco correndo em direção à porta da cozinha. Pôde ouvir os sons das botas pesadas sendo tiradas e deixadas de lado e de todos os casacos de inverno sendo pendurados.
Quando seu tio abriu a porta da cozinha, ele só teve tempo de cumprimentar os outros com sua voz grossa antes que a menina puxasse a barra de sua camisa tentando conduzí-lo até a sala. Seu pai riu e foi atrás dos pequenos cabelos loiros saltitantes. Sua avó pegou o telefone e, logo após encerrar a ligação, empurrou a cadeira de rodas do avô até a sala do carpete verde.
Alguns minutos depois outro tio chegou e finalmente a menina pôde comemorar e ficar plenamente feliz. Um pinheiro gigantesco aos seus olhos estava esperando por eles na sala. Seus galhos finos abraçavam o tronco que ia até o teto, era uma imensidão. Seu tio mais alto pegou a menina e colocou-a sobre os ombos. Era hora de montar a árvore.
Durante as horas seguintes, os três homens e a garotinha enfeitaram o pinheiro sob a supervisão do avô. Foi preciso uma escada bem alta e muitas e muitas caixas de enfeite para vestir o pinheiro. O verde e o marrom que antes predominavam, ficaram mais esbeltos com os enfeites de todas as cores que ela podia imaginar e ficaram mais felizes por causa dos fios intermináveis que faziam os galhos piscarem cheios de cor. Para ela, nunca era o suficiente, a árvore precisava estar mais decorada e colorida, tinha que ser a mais bonita de todas para agradar o velhinho de vermelho que chegaria mais tarde naquela noite.
Mesmo depois de ter colocado todos os enfeites empoeirados, ela ainda podia sentir o cheiro inigualável do pinheiro vivo. E o cheiro de comida que vinha da cozinha só melhorava. Ela não percebeu durante o tempo que passou ali, mas agora a casa já estava enchendo e alguns espectadores haviam se reunido na sala para observar a árvore sendo enfeitada.
            Quando o trabalho por fim estava feito, todos voltaram para a cozinha para beber e começar a comer; menos ela. A garotinha ficou parada por um tempo admirando o pinheiro várias vezes maior que ela. Ele brilhava e piscava e era simplesmente maravilhoso. Para a pequena, ele era a coisa mais linda que ela já tinha visto.
            O som das conversas e risadas na cozinha ficou mais alto, mas ela ainda demorou um tempinho para voltar pra lá. Sentou no carpete e, debaixo da árvore, ficou pensando que seria ali que seus presentes logo estariam. Ela mal podia esperar. Olhou para a lareira e viu satisfeita que as meias também estavam devidamente posicionadas na parede. Tudo estava perfeito.
Ouviu as vozes de seus primos e saltitou para a cozinha sem olhar para trás. O cheiro de comida pronta e servida também foi um belo atrativo. Sentou-se junto às outras crianças em meio ao mundo de brinquedos no chão da cozinha e esqueceu-se da árvore; agora tinha outras prioridades.

Na sala do carpete verde o majestoso pinheiro ecoava os sons vindos da cozinha. Suas luzes e enfeites iluminavam o cômodo enquanto alguns flocos de neve caíam e tentavam se agarrar ao vidro da janela para admirar as cores e beleza daquele lugar e daquela véspera de Natal.

Essa é a minha lembrança de um dos meus Natais com a minha família, você tem alguma marcante também? Me conta! 

Desejo a todos um feliz Natal, que aonde quer que você passe, que passe com pessoas que você ama e que te amam também. Desejo uma noite muito aconchegante e colorida. Feliz Natal <3

You Might Also Like

3 comentários

  1. A neve era real ou foi algo para complementar a lembrança? Sério, essa dúvida está me matando aqui! Meu sonho é passar o Natal em um lugar que esteja totalmente coberto de gelo. E pra melhorar teria que estar comendo biscoitinhos de gengibre com formas natalinas, hahaha'. Tenho várias lembranças de Natal e me identifiquei muito com a sua ansiedade. A hora dos presentes, né? Adorei <3 Beijos, Light As The Breeze

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A neve foi real, foi um dos Natais que passei com a minha família na Alemanha. Muito obrigada por comentar, espero que volte sempre ;)

      Excluir
  2. estou apaixonada pelo post, pelo blog, por tudo aqui! Já estou seguindo ♥
    que lindo o texto, meu sonho passar um Natal rodeada de neve, enfim, escrita belíssima.
    beijão!
    Zombie Effect

    ResponderExcluir

recent posts

Like us on Facebook

Twitter