Resenha: Surpreendente

17:51

            Quando o novo livro de Maurício Gomyde chegou aqui em casa, fiquei encantada com a simplicidade apaixonante da história. O livro, que foge daqueles títulos que costumo escolher como primeira opção, me agradou bastante e me conquistou de diversas formas. Com uma história leve, encantadora e fácil de se identificar, foi mesmo... Surpreendente.  

“Surpreendente! - Pedro Diniz tem um desafio e um problema pela frente.

O desafio: filmar um roteiro magnífico capaz de surpreender o público e conquistar o maior prêmio do cinema brasileiro. O problema: não ter ideia de como fazer isso.

Aos 25 anos, recém-formado, Pedro está convencido de que é um sujeito muito especial, que tem a missão de usar o cinema como instrumento para melhorar o mundo. Diagnosticado na adolescência com uma doença degenerativa que o condenaria à cegueira, ele contraria a lógica da medicina quando a perda de sua visão estaciona de forma inexplicável. Enquanto comanda o último cineclube de São Paulo e trabalha em uma videolocadora da periferia, Pedro planeja seu próximo filme, a obra que vai consagrá-lo. E, para animar as coisas, conhece a intrigante Cristal, uma ruivinha decidida, garçonete e estudante de física nuclear, que mexe com seu coração.

A perspectiva idealista de Pedro, porém, sofre sérios abalos. Atormentado por um segredo, ele parte com os amigos Fit, Mayla e Cristal numa longa viagem até Pirenópolis, em Goiás, a bordo de um Opala envenenado. Com câmeras nas mãos e espírito de aventura, a equipe técnica improvisada está disposta a usar toda a sua criatividade na filmagem feita na estrada ao sabor de encontros inesperados e de sentimentos imprevisíveis. E o jovem cineasta descobre que, quando o destino foge do script, nada supera o apoio de grandes amigos.”

            Surpreendente já me conquistou com a capa maravilhosa e a formatação do livro. Logo na primeira página já salta aos olhos a frase “se você passar toda a vida sem fazer algo excepcional por alguém, viver não terá valido a pena”; e vem a certeza de que a leitura será, no mínimo, inspiradora. O livro é dividido em vários capítulos curtos, o que faz a leitura fluir bem mais rápido, em momento algum a história se torna cansativa. O prólogo já prende a atenção e planta um quê de curiosidade e surpresa. Além dos 51 capítulos, a história é dividida em 5 partes, todas começando com uma citação inspiradora que dita o tom da narrativa a partir dali.
            Fiquei surpresa com a facilidade da leitura, não percebia que passava as páginas até estar quase terminando o livro. A escrita é bem explicativa, mas não exagera nos detalhes, os diálogos tornam a história mais crível e parece que os pensamentos de Pedro refletem nossas próprias questões existenciais. Suas reflexões a respeito de seus sonhos e metas de vida podem facilmente ser nossas. É um daqueles livros para se ler em poucas horas. Senti o tempo todo como se alguém estivesse conversando comigo, contando a história daquelas páginas.


            Os personagens são a alma da história. Apesar de Pedro ser o protagonista e a narrativa girar em torno de seus problemas e desafios, são seus coadjuvantes que dão vida às páginas. Não é difícil reconhecer seu melhor amigo ou sua paixão atual nos personagens criados por Maurício Gomyde. A personalidade de Pedro é outro ponto alto da história. Gente como a gente, Pedro é um herói que foge dos padrões dos romances. Não é aquele homem de tirar o fôlego que se vê na rua, e sim aquele cara simpático e incrível que te conquista aos poucos até fazer seu coração bater um pouquinho mais rápido. Com um pé no chão e o outro no fantástico mundo que ele diariamente cria para si mesmo, é encantador da forma mais sutil e adorável. Sua paixão por filmes me animava cada vez. Sua paixão pela vida me tirou de mim várias vezes. Em vários momentos me identifiquei com sua visão mais apaixonante do mundo, sempre tentando colorir seus tons acinzentados.
            O livro é cheio de diálogos fofos e frases para rabiscar por aí. Não foram poucas as vezes em que eu parei a leitura para anotar uma citação em algum lugar. Não apenas as divisões do livro apresentam frases bonitas, mas as experiências de Pedro e suas redescobertas também apresentam pensamentos dignos de serem lembrados.
            As referências de filmes são presentes durante cada instante da narrativa. Seja por meio das indicações que o próprio Pedro dava, nos diálogos com seus amigos ou nas suas lembranças marcantes. Também são feitas várias referências musicais, principalmente nas cenas em que Pedro e Cristal estavam juntos. Dá pra montar uma playlist inteirinha com músicas incríveis.
            A história de Pedro poderia acontecer com qualquer um de nós, e é essa a beleza da narrativa. Pedro vive dilemas totalmente humanos e precisa enfrentar seus próprios desafios sem se perder no meio do caminho, mesmo com obstáculos pessoais. O desenvolvimento de seu personagem é totalmente plausível e inspirador. Fica a vontade de se jogar na estrada com quem amamos e a lição não só de superação, mas de constante redescoberta e crescimento individual. Mesmo quando se sente perdido, sozinho no mundo, é preciso olhar para o lado. Às vezes a maior surpresa está naquilo – ou naqueles – em que se vê todo dia, mas nem sempre se tem o olhar para se encantar diariamente. Muitas vezes procuramos e esperamos por grandes revelações, mas, vez ou outra, são os pequenos grandes milagres do dia a dia que nos transformam de forma irrevogável.  
            Surpreendente é uma ficção que poderia facilmente ser real. Seja pelos personagens, pelos desafios, pela pura e simples vontade de viver, é uma história capaz de tocar cada um e devolver o gosto pelos filmes, pela leitura, pelo mundo, pela vida. Para quem quer uma surpresa boa, Surpreendente é uma ótima pedida. Sem trocadilhos ;)

Surpreendente foi escrito por Maurício Gomyde e publicado pela editora Intrínseca.

            Classificação: 4/5 estrelas.

“Se me der oportunidade,e sou capaz de provar que vai alterar aquele ‘provavelmente’ para ‘certamente’”.
“E como vai fazer isso, senhor autoconfiante?”
“Sou cineasta. O trabalho de um cineasta é fazer as pessoas acreditarem naquilo quase impossível de ser provado.”
“E sair do cinema com a ilusão de que a vida é perfeita.”
“É o que chamo de Cinema Felicidade”.



Gostou da resenha? Já leu o livro ou ficou com vontade de ler? Então não esqueça de deixar uma curtida ou um comentário ;)

You Might Also Like

6 comentários

  1. Ótimo texto! Já havia visto este livro por aí mas nunca dei muita bola, mas depois deste texto vou tentar ir atrás dele.

    Grande abraço.
    www.quadro42.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! Espero que goste tanto quanto eu gostei <3

      Excluir
  2. Obrigado pelas belas palavras e impressões sobre a história, Laura. Beijo grande. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por ter escrito um livro tão apaixonante e muito obrigada por ter visitado o blog! Beijos <3

      Excluir
  3. Fiquei morrendo de vontade de ler, parabéns ela resenha, super amei!!

    www.antesdaprimavera.com.br

    ResponderExcluir

recent posts

Like us on Facebook

Twitter