Pretérito imperfeito

11:29


E, como uma tola, ela escrevia textos pra ele, para aquele que simplesmente não se importava, para o fantasma de um tempo que há muito ficou no passado. Enquanto ele seguia com a sua vida, ela se via estagnada num eterno pretérito bem mais que imperfeito. Ele remava em águas rasas, sentindo o vento acariciar-lhe a face e soprar seus cabelos. Ela tentava não se afogar na tormenta de mares desconhecidos, tentava não naufragar em si mesma. Sem olhar pra trás, ele era feliz, sempre com aquele maldito lema de "viver o momento". Enquanto ela tentava entender porque logo ele tinha sido a pessoa a fazê-la sentir algo diferente, ele vivia a melhor fase de sua vida. Ele a fez se sentir viva, mas agora quem vivia era ele.
Enquanto ela se via pensando naqueles dias o tempo inteiro, ele sequer se lembrava daquela mulher independente e sonhadora. Ela era a outra.
Enquanto ela se preocupava em tentar extravasar tantos pensamentos, ele pensava em tudo menos na mulher que marcou. Ela, que sempre foi livre, tentava não enlouquecer dentro daquela gaiola de lembranças e saudades. Enquanto ela se via sendo puxada pra baixo, tinha que assisti-lo subir cada vez mais e não havia nada que pudesse fazer para acompanhá-lo.
Doía ser aquela que ficou para trás. Sentia o gosto amargo em sua língua e jurava que ainda podia ouvir o deboche em sua memória. Ela não merecia aquilo, sabia que não. Enquanto escrevia a carta de despedida de um amor de verão, tentava enganar a si mesma, jurava que aquilo não havia significado nada. Mas sabia que era mentira. “Você me devolveu”, ela pensou com um sorriso de partir o coração. As lembranças daqueles dias eram boas demais.
Ele havia lhe devolvido o ar, havia feito brilhar uma luz que ela nem sabia que existia. E aquele brilho era encantador, simplesmente apaixonante. Mas no processo, ele havia levado um pedaço dela, e ela não fazia a menor ideia de como seguir em frente. 

*Para fins de direitos autorais, declaro que as imagens utilizadas neste post não pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente com nosso contato. Atenderemos prontamente. Fonte: Pinterest.

You Might Also Like

7 comentários

  1. Adorei esse texto. Realmente é bem sincero e me identifiquei com vários trechos.
    Sempre leio quando tem post novo, mas você disse no twitter para deixar um comentáriozinho do amor, então, este é o meu. ♥
    Beijos.

    Nayandra,
    www.ultimobiscoito.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por dar uma passadinha aqui e comentar, é sempre bom saber que tem gente lendo e acompanhando o blog, mesmo que "às escondidas" ahaha Fico feliz que tenha gostado, significa muito pra mim! Espero te ver aqui mais vezes, Nayandra <3

      Excluir
  2. Que lindo, triste e real! :o
    http://nadageek.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Que intenso. De ler em um gole só!
    Ele levou um pedaço da moça, mas olha eu concordo com ele quando acredita que deve viver o momento, e sim a moça viveu enquanto esse momento existiu. O que restam agora são as lembranças, e ficar é triste por um momento, viver esse momento de falta é super importante só não pode demorar. Ficar aberta para o que tem pra chegar!
    Um abraço, Laura!
    Voltarei mais vezes por aqui!
    D'cifrando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É complicado quando os dois têm opiniões e versões diferentes a respeito de uma mesma época, de um mesmo momento compartilhado. Acho que fica a reflexão do encontro de duas pessoas bem parecidas que estão vivendo momentos completamente diferentes.
      Obrigada pelo comentário, Deise, espero te ver mais vezes aqui, hein? <3

      Excluir
  4. Que bonito, que triste </3

    http://gotasdecaffe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

recent posts

Like us on Facebook

Twitter