Resenha: Vida e morte – Crepúsculo reimaginado

08:04

            Nem acredito que já faz uma década desde que Crepúsculo foi lançado. Ainda me lembro de estar na quinta série esperando ansiosa pelo lançamento de Amanhecer e de me negar a acreditar que a série já estava acabando. É muito gostoso poder voltar um pouquinho no tempo e, não só reler uma história tão marcante, mas poder mergulhar em um universo alternativo de Forks.

“Quando Beaufort Swan se muda para a melancólica cidade de Forks e conhece a misteriosa e atraente Edythe Cullen, sua vida dá uma guinada emocionante e apavorante. Com a pele de porcelana, os olhos dourados, uma voz hipnótica e dons sobrenaturais, Edythe é ao mesmo tempo enigmáticon e irresistível.
O que Beau não percebe é que, quanto nmais se aproxima dela, maior o perigo para ele e para os que os cercam. E pode ser tarde demais para voltar atrás...”

            Vida e morte é uma releitura inesperada e inusitada para os fãs de uma das sagas vampirescas mais famosas de todos os tempos. Em uma edição muito bacana no estilo “vira-vira”, temos Crepúsculo, a história original, e virando o livro, conhecemos Vida e morte, uma versão nova e refrescante.

Em comemoração aos dez anos da série, Stephenie Meyer presenteia os fãs com o que seria a mesma história vivida em Crepúsculo, mas com um enorme diferencial: todos os personagens têm o gênero trocado. Bella é Beau e Edward é Edythe. No começo é bem estranho ler como Beau não está interessado nas meninas da nova escola e como Edythe é uma garota misteriosa e muito atraente. É preciso se desapegar um pouco da história original para poder aproveitar melhor Vida e morte. Ler a “mesma” história de uma forma completamente diferente daquela que todos já conhecemos tão bem é uma experiência única. Foi uma jogada muito inteligente de Stephenie Meyer.


            Particularmente não gostei muito dos filmes, mas os livros da série tiveram fundamental importância para construir a minha paixão por livros. Sempre adorei ler, mas foi Crepúsculo que me tornou uma ávida leitora, sempre procurando o próximo romance para me encantar e viciar. E foi a partir da série que passei a conhecer vários outros romances sobrenaturais (alguns até mais antigos) que só ganharam destaque nas prateleiras depois que o fenômeno Twilight estourou.
Sempre vou ter um enorme carinho por essa saga maravilhosa que conquistou milhões de fãs e mudou para sempre os romances sobrenaturais. Faz algum dempos desde que li algum dos livros de Crepúsculo, mas quando vi que a Intrínseca iria lançar Vida e morte, não tinha como não ficar curiosa e, por que não, nostálgica a respeito.
A princípio, imaginei que Stephenie seguiria a história original à risca, tinha certeza de que estaria apenas fazendo uma simples releitura de Crepúsculo, mas não foi bem assim. Os primeiros capítulos são bem fiéis à Crepúsculo, mas parece que Stephenie foi entendendo que não teria como a história ser a mesma e se encontrou no desenrolar da narrativa. A personalidade como um todo dos personagens foi mantida, mas alguns detalhes foram adaptados, o que deu novos ares aos moradores de Forks. Particularmente achei Beau mais sem graça que Bella, mas Edythe é bem mais divertida e cativante que Edward, por exemplo.


A história começa a ficar realmente boa a partir da metade do livro, a impressão que tive é de que Stephenie entendeu o que ela mesma queria fazer depois que os personagens foram apresentados. A partir daí o livro deixa de ser Crepúsculo e se torna Vida e morte. As personalidades são definidas de uma maneira melhor, algumas cenas são cortadas ou acrescentadas, diálogos essenciais da narrativa são alterados e encaixados em contextos melhores, os personagens não são tão inocentes e virginais como no livro original. A narrativa parece dar um salto a partir da metade do livro, o que, ao mesmo tempo em que é animador porque desenvolve a história rapidamente, deixa alguns questionamentos. Em Vida e morte parece que Beau e Edythe se apaixonam em questão de minutos, o estranhamento e desconforto passa para amor e necessidade em poucas páginas. É mais fácil entender porque Bella e Edward se apaixonaram do que em Vida e morte.
Além desses detalhes, me encantei pela história. Stephenie Meyer cria um final alternativo completamente inesperado para quem tem a história original tão enraizada na mente. Fiquei muito feliz em ler o final que, na minha cabeça, sempre deveria ter sido o final mais racional, o final que sempre fez mais sentido pra mim. É um final realista e surpreendente para os fãs da saga original. No posfácio, Stephenie Meyer conta que o desfecho alternativo responde a vários “e se” que a própria autora tinha quando concluiu Crepúsculo. Foi um presente para si e para os fãs.
Vida e morte é indispensável na estante de todo fã de Crepúsculo. A nova narrativa não estraga de forma alguma a história original, como muitos receiam. Por ser tão diferente e surpreendente, é como se estivéssemos lendo um volume completamente diferente, não altera em nada o modo como vemos os personagens tão icônicos da saga. Depois de tantos anos, é maravilhoso ter um conteúdo inédito e tão bem trabalhado como Vida e morte. É pra matar um pouco a saudade e gerar expectativa do que pode vir por aí.  

Vida e morte foi escrito por Stephenie Meyer e publicado pela editora Intrínseca.

            Classificação: 4/5 estrelas.

“Eram totalmente diferentes, mas, ao mesmo tempo, eram todos tão parecidos. Cada um deles era pálido como giz, os alunos mais brancos que viviam nesta cidade sem sol. Mais brancos do que eu, o albino. Todos tinham olhos muito escuros (de onde eu estava, pareciam pretos), apesar da variação de cor dos cabelos. Também tinham olheiras – arroxeadas, em tons de hematoma. Talvez os cinco estivessem chegando de uma noitada. Ou estivessem se recuperando de um nariz quebrado. Mas os narizes, todos os seus traços, eram retos, angulosos.
Só que não era por isso que eu não conseguia desgrudar os olhos.
Fiquei olhando porque seus rostos, tão diferentes, tão parecidos, eram completa, arrasadora e inumanamente lindos. As garotas e os garotos, lindos. Eram rostos que não se via na vida real, só em páginas de revista ou outdoors. Ou em um museu, pintados por um antigo mestre como a face de um anjo. Era difícil acreditar que eles eram de verdade.
Concluí que a mais bonita de todas era a garota menor com o cabelo cor de bronze, embora eu presumisse que a metade feminina do corpo estudantil votaria no sujeito louro com cara de ator de cinema. Mas elas estariam enganadas.


Gostou da resenha? Já leu o livro ou ficou com vontade de ler? Então não esqueça de deixar uma curtida ou um comentário ;)

You Might Also Like

26 comentários

  1. Oi, Laura! Tudo bem? Ah, eu adorei a ideia da Stephanie de reescrever Crepúsculo de um modo tão peculiar. O livro parece ser ótimo e eu fiquei com vontade de lê-lo! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tony! Tudo sim e aí? Achei o livro bem bacana, super diferente, vale a pena dar uma conferida mesmo!

      Excluir
  2. Oi, Laura!
    Crepúsculo foi um dos responsáveis por eu me tornar uma leitora.
    Infelizmente, eu teria achado melhor se a Meyer tivesse lançado Midnight Sun.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Logo no prefácio ela comenta que também queria ter lançado Midnight Sun mas não tinha tempo o suficiente. Deu a entender que talvez isso ainda aconteça, será?

      Excluir
    2. Oi, Laura, amei a resenha, fiquei com mais vontade de ler. 😍

      Excluir
  3. Oi, Laura!
    Confesso pra você que nunca me interessei em ler a saga Crepúsculo pelo fato de que sempre curti vampiros, mas vampiros realmente cruéis e sanguinários, sabe?
    É a primeira vez que leio mais sobre o enredo de vida e morte e achei bem interessante, foi uma jogada inusitada da autora.
    Adorei tua resenha, aliás, adorei o blog, é minha primeira visita aqui e já estou seguindo.
    Beijinhos,
    Alice
    www.wonderbooksdaalice.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje em dia também prefiro vampiros mais "reais", entende? Mas não posso negar que foi Crepúsculo que me fez ficar muito interessada no gênero sobrenatural. Fico muito feliz que minha resenha tenha despertado esse interesse em você, já valeu a pena por isso. Seja muito bem vinda ao Nostalgia Cinza, espero te ver aqui mais vezes, hein? <3

      Excluir
  4. Oi Laura!
    Minha relação com Crepúsculo é meio amor e ótidio, sabe? hahaha
    Sim, eu li todos os livros e amei. Porém, com o decorrer do tempo e dos filmes, consegui ver vários pontos da história que realmente me incomodam. Deixo como um dos meus livros favoritos no skoob por ter tido aquele sentimento quando o li, mas infelizmente, não consigo mais gostar tanto deles assim. Então, não leria 'Vida e Morte' :(
    Beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi a mesma coisa comigo, a medida que o tempo foi passando eu fui vendo alguns erros que me incomodaram demais. Não curti os filmes, assisti todos mas não gostei não. Mas Crepúsculo sempre vai ter um espacinho bem querido no meu coração, não dá pra evitar, mas entendo perfeitamente seu lado.

      Excluir
  5. Olá!
    Concordo com você, ainda nutro um carinho enorme por Crepúsculo. Foram os livros da Meyer que me fizeram ser a leitora que sou hoje, e não mudaria nada disso, tenho orgulho disso. Admito que estou muito curiosa quanto a esse livro e sua resenha me deixou mais ansiosa ainda <3
    Beijos!
    Apenasumaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho orgulho de dizer isso, está certíssima, Mariana! Fico muito feliz, espero que decida ler o livro e me contar o que achou depois <3

      Excluir
  6. Que interessante minha flor!

    A sua resenha é a primeira que leio deste livro, na verdade, estou sabendo dele agora com sua postagem. Muito interessante. Fiquei curioso como a Meyer "recriou" Crepúsculo dando um rumo completamente inesperado à princípio. E a capa, assim como as capas da série, é fenomenal de linda. Obrigado por resenha tão bem feita e com tanta inspiração e nostalgia. Muita luz, paz e excelentes leituras para ti. Beijo grande!

    Ewerton Lenildo - Viajante das Letras.
    viajantedasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bom que descobriu a respeito do livro pelo meu blog, fico muito feliz <3 A capa é linda não é? Preto é minha cor favorita, então a capa me conquistou à primeira vista! Muito obrigada pelo comentário gentil e espero te ver mais vezes aqui no blog, seja muito bem vindo! <3

      Excluir
  7. Oie, não sei o que escrever, pois li apenas Crepúsculo e sinceramente....não vou comentar o que achei.
    Mas acredito que ela ter escrito um livro em comemoração, é uma boa lembrança para os fãs.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muita gente não curte a saga, não tem problema ahaha Foi uma boa lembrança sim, bom pra matar a saudade um pouco <3

      Excluir
  8. Ainda não consigo acreditar que já fazem 10 anos que foi lançada. VocÊ não sabe como eu me senti velha agora hahaha Particularmente não gostei muito da saga, comecei a ler e não gostei, nem dos filmes na verdade. Mas que foi uma febre, foi. Ouvi muita gente falar sobre esse Vida e morte, parece ser bom.

    Um cheiro, lindona!
    www.vinteetantos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, estou na mesma! ahaha Me senti muito velha porque realmente não tinha percebido o tempo passar tão rápido assim. Eu gostei, achei muito interessante.

      Excluir
  9. Adorei a resenha :) Não li nenhum dos livros de crepúsculo, mas assisti aos filmes e curti muito quando era mais nova, tinha por volta dos 13 anos, assisti recentemente e sinceramente não gostei nenhum pouco. Parece que essa releitura ficou bem interessante, principalmente por esse fato que você citou, de não ter uma história ligada a crepúsculo realmente. Beau ser mais sem graça que a Bella deve ser entediante então, né? haha Beijos :*

    www.quetransborde.com.br

    ResponderExcluir
  10. Que post! Eu preciso mesmo ler Crepúsculo. Foi o livro de juventude de tanta gente que eu me sinto até mal. Vida e morte parece ser bom, estou lendo resenhas positivas sobre.

    ResponderExcluir
  11. Tenho vergonha de admitir que nunca li a série Crepúsculo(eu sei sou estranha)rsrsrs. Este novo livro pelo que vi deixou os fãs em polvorosa, e até me despertou certa curiosidade. Será que preciso ler toda a série antes para depois poder ler vida e morte?
    Bjin
    http://reinoliterariobr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Laura! As suas reações à Vida e Morte foram bem parecidas com as minhas.. Quando eu vi Vida e Morte nas prateleiras foi um choque.. não sabia que ia ser lançado. Por coincidência, eu estava relendo a série, estava no meio de Eclipse qdo achei Vida e Morte, então estava com a história do livro muito fresca na cabeça qdo fui ler Vida e Morte, e por isso também tive essa sensação no começo, de que seria exatamente a mesma história só com personagens trocados.. Mas realmente o livro começa a ter vida própria após alguns capítulos. O final foi realmente surpreendente, e foi algo q eu tb achava que deveria ter sido óbvio na saga original, mas se pensarmos, se este fosse o final na série, não seria possível que os outros livros existissem, e eu acho isso muito triste... Por mais depressivo que seja, Lua Nova é um dos meus livros favoritos da saga, e ele não existiria se o fim de crepúsculo fosse o mesmo de vida e morte... Bom, estou qse fazendo uma resenha própria aqui rsrs! Vc me mandou uma mensagem pelo skubs, pedindo p ler e comentar sua resenha, e por isso passei por aqui. Emoticon grin Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Olá, sabe que nunca me interessei em ler a série Crepúsculo? mas já assisti os filmes e não foram os melhores para mim, por isso fiquei meio receosa com os livros, mas mesmo assim depois de tanto tempo eu ainda quero ler os livros, e fiquei bem animada quando vi esse última lançamento da autora.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  14. Em primeiro lugar, sua resenha está ótima (na minha humilde opinião). Ainda não conhecia seu blog, mas já estou seguindo-o <3

    Quem gosta de 'Crepúsculo' sofre um preconceito bem louco, mas como estou cagando e andando para qualquer forma de preconceito, digo: amo os filmes e os livros que já li da série. Bem, na época que li, eu curti bastante, mas é claro que encontrei algumas coisas no enredo que não curti, mas faz parte.

    Essa sacada da autora de mudar os gêneros dos personagens foi fantásticas. Pela premissa da obra, pensei que a história poderia ficar fatídica, por conta da repetição, mas a autora é fod@. Ela mudou algumas partes e deu um final alternativo. Acho que preciso ler esse livro <3

    Uma década desde o lançamento, né? Tô ficando velha rs...

    Abraços,
    Karina do blog Eu e Minha Cultura.

    ResponderExcluir
  15. Olha, não tenho um pingo de vontade de ler este livro, sabe? Nem um pouco. Sua resenha ficou ótima, principalmente pelo uso das imagens que é algo que eu costumo admirar muito em uma resenha.

    ResponderExcluir
  16. Olá

    Gostei da resenha, li a série Crepúsculo completa,mas esse livro em si não chamou mais atenção,hoje em dia eu prefiro ler outras coisas,mas pra quem curte deve ter sido um prato cheio esse livro.

    Bjss

    ResponderExcluir

recent posts

Like us on Facebook

Twitter