Resenha: Baía da Esperança

10:26


            É inegável que Jojo Moyes está em todos os lugares por causa de seu best-seller Como eu era antes de você. Ainda não li seu maior sucesso, mas com o nome de Jojo por toda parte, é difícil deixar algum lançamento passar batido. Já havia lido e resenhado Um mais um, mas quando vi que a Intrínseca iria relançar um dos títulos da autora, decidi mergulhar em mais uma de suas histórias.

“Quando Mike Dormer parte de Londres para uma pequena cidade litorânea da Austrália, a fim de impulsionar a construção de um resort de luxo, vislumbra apenas mais um contrato milionário que lhe permita subir outro degrau da escada empresarial. O destino, porém, lhe reserva algo diferente. Baía da Esperança não é uma cidadezinha qualquer, e as tripulações de observação de baleias, lideradas pela enigmática marinheira Liza McCullen, logo vão se revoltar contra o apetite predatório do forasteiro Mike. Quando a megaconstrução começa a ganhar vida, e então se revelam os efeitos na fauna local, os mundos de Liza e Mike se chocam, com resultados dramáticos. Perigos inesperados irão confrontar os nativos, sejam eles criaturas marinhas ou seres humanos. E Mike se vê obrigado a responder à pergunta que paira sobre Baía da Esperança: até onde se pode chegar, antes de acabar por destruir o que se ama?”

            Baía da Esperança é um livro bem interessante. A sinopse esconde um pouco todos os assuntos tratados na narrativa. O livro, ao contrário do que parece, não gira em torno do romance de Mike e Liza. Na verdade, o romance é bem sutil e explorado de uma forma superficial se compará-lo às histórias de amor enlouquecedor que estamos acostumados a ler por aí. Então não diria que o livro é uma história romântica. E Mike também não é o protagonista absoluto. Jojo Moyes explora em Baía da Esperança vários personagens e sabe dividir bem cada capítulo.
            O livro é dividido em vários capítulos de tamanho variado que se revezam entre as narrativas de Kathleen, a Garota do Tubarão e tia de Liza; Liza, a loira misteriosa e contida que trabalha nas embarcações que observam as baleias de Silver Bay; Hannah, a adorável e inteligente filha de Liza; Mike, o forasteiro britânico e alguns poucos capítulos reservados para personagens secundários. O livro é bem dividido de forma que esses quatro personagens tenham importância fundamental para o desenvolvimento da trama e contribuam para que a narrativa corra mais facilmente.
 
 
            O começo do livro é um pouco monótono, estou acostumada a livros que logo de cara já são recheados de cenas envolventes. Baía da Esperança tem um ritmo mais lento, a história é apresentada de forma sutil. No começo fiquei um pouco perdida para encaixar os pedaços da trama, mas é perceptível que essa é justamente a intenção da autora. Jojo não entrega a história de bandeja, ela se preocupa em construir os personagens ao longo de todo o livro, o que é um forte da autora.
            Jojo Moyes escreve muito bem. Não apenas a construção da personalidade de cada personagem é muito bem pensada, mas cada detalhe da história é perfeitamente elaborado. Houve uma pesquisa por trás do trabalho do livro, o que anda cada vez mais raro nos best-sellers. Todos os detalhes a respeito das baleias torna a história ainda mais crível e madura.
            Ao contrário de muitos livros que mais parecem scripts por conta da quantidade de diálogos, Baía da Esperança é praticamente todo baseado nos pensamentos e pontos de vista dos personagens. Por esse motivo, demorei um pouco para mergulhar completamente na história. Mas, quando peguei o ritmo do livro, a leitura se desenrolou tranquilamente.
            Jojo tem talento para descrever cenários e diálogos cotidianos de uma forma impressionante. Faz você se sentir um observador, como se estivesse realmente acompanhando a rotina de alguém. Sua escrita me lembrou muito a escritora Liane Moriarty (dois de seus livros estão resenhados aqui: 1 e 2) de uma forma muito positiva.
Baía da Esperança é um livro, no geral, muito gostoso de ler. Ao passar a última página, vem aquele sentimento de tranquilidade que a narrativa consegue transmitir. Apesar de não ser uma trama extremamente envolvente e diferenciada, o livro se destaca pela escrita de Jojo Moyes e pela complexidade de cada personagem. A história se encaixa perfeitamente sem deixar nenhum fio solto, o que me agradou muito. É aquele livro sem faixa etária ou gênero, todo mundo que quiser deitar no sofá e viajar um pouco, vai se deliciar com Baía da Esperança.


 
Baía da Esperança foi escrito por Jojo Moyes e publicado pela editora Intrínseca.
            Classificação: 4/5 estrelas.

“Em algum ponto da estrada litorânea de Silver Bay, tive uma revelação. Eu havia passado meses obcecado por esse projeto, pensando nele apenas em termos do que significava para minha carreira e minha empresa. Agora me confrontava com o custo potencial. E vi que minhas primeiras preocupações já não eram o dinheiro e a ambição, porém algo infinitamente mais difícil: um acordo bem-sucedido. Queria que Kathleen e Liza ficassem tão felizes com esse desfecho quanto os investidores, os de olhar duro como pedra. Queria que as baleias e os golfinhos permanecessem vivos, que não fossem afetados pelo empreendimento. Ou, pelo menos, não mais do que qualquer criatura que viva em estreita proximidade com o ser humano. Eu ainda não havia elaborado uma forma de fazer isso, mas, com a cabeça cheia pensando em áreas de conservação e museus comemorativos, senti que finalmente estava prestes a conseguir alguma coisa.”

Gostou da resenha? Já leu o livro ou ficou com vontade de ler? Então não esqueça de deixar uma curtida ou um comentário ;)

You Might Also Like

3 comentários

  1. Só de falar em Jojo já imagino um romance incrível. Não posso negar que sou apaixonada pelos livros dela <3 Ainda não li esse, mas pela sua resenha pude perceber que é tão bom quanto os outros, e que transmite muita tranquilidade. Assim que sobrar uma graninha pretendo compra-lo também. Beijo

    www.quetransborde.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você é apaixonada pelos livros dela tenho certeza que vai adorar esse! Gostei bem mais desse do que de Um Mais Um, que foi o outro que li dela.

      Excluir
  2. Achei seu blog por essa postagem e adorei não só sua resenha, mas como suas fotos.
    Arrasou!
    Beijos
    http://sophiesamiesarfati.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

recent posts

Like us on Facebook

Twitter