Desalento

12:00


E por vários dias eu deitei na cama
Descansei a cabeça exausta num travesseiro de consolo
Buscando momentos que deveriam ter acontecido
Lembranças que se perderam na minha tentativa de agarrá-las
Com meias aquecendo os pés e lençóis espalhados pelo colchão
Eu suspirava em agonia
Numa eterna contradição entre quem eu sou e quem eu algum dia esperava ser



E por várias noites eu deitei na cama
E puxei a coberta pra esconder minhas inseguranças
Olhei pro teto e ali vi algumas estrelas brilhando acanhadas
Me lembrando de quem eu já fui
Da mesma pessoa que há muito tempo olhava para esses mesmos desenhos
E pensava o futuro, pensava em quem viria a ser
Com a pele aquecida e o coração resfriado
Eu me perguntava o que aconteceu com a pessoa que um dia olhou para as estrelas
E desejou pintá-las com a ponta dos dedos



E por várias madrugadas eu permaneci ali
Procurando algo que não encontraria
Quase inerte, com os olhos fixos em algo que eu nem sabia o que era
Um leve erguer do peito enquanto eu respirava
O som do mais solitário silêncio causando um zumbido nos meus ouvidos
Eu fiquei ali tão quieta, tão solitária

Tão eu
*Para fins de direitos autorais, declaro que as imagens utilizadas neste post não pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente com nosso contato. Atenderemos prontamente. Foto: VOGUE.

You Might Also Like

10 comentários

  1. Bela poesia!


    Adorei esse techo:
    "Da mesma pessoa que há muito tempo olhava para esses mesmos desenhos
    E pensava o futuro, pensava em quem viria a ser
    Com a pele aquecida e o coração resfriado
    Eu me perguntava o que aconteceu com a pessoa que um dia olhou para as estrelas
    E desejou pintá-las com a ponta dos dedos"

    Laura Brand, meus parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Velho, parabéns! Eu amei sua poesia, queria ter esse talento!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuito obrigada, fico feliz que tenha gostado <3

      Excluir
  3. Que texto mais lindo!
    Confesso que me identifiquei em alguns trechos.

    ResponderExcluir
  4. Nossa... Que texto mais lindo e profundo! O que eu estava fazendo sem seguir seu blog ainda? hahaha Estou seguindo e amei, de verdade.

    "Eu suspirava em agonia
    Numa eterna contradição entre quem eu sou e quem eu algum dia esperava ser." Profundo e verdadeiro. Às vezes nos deparamos com pensamentos assim... Acho que virou algo bem normal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vinda, Suellen! Fico muito feliz que tenha gostado e espero te ver aqui mais vezes <3

      Excluir
  5. Oie, tudo bem? Ultimamente tenho acompanhado muitos blogs de textos e cada vez fico mais impressionada com o talento e a delicadeza das palavras. Me chama a atenção a escolha das palavras, a profundidade dos sentimentos, e o tocar no coração. Lindo texto, parabéns! Beijos, Érika ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Érika! Fico muito feliz que tenha gostado do blog e da poesia, espero que volte mais vezes <3

      Excluir

recent posts

Like us on Facebook

Twitter