Resenha: Até que a culpa nos separe

07:57


 Desde que li O segredo do meu marido fiquei com o nome de Liane Moriarty na cabeça. Raramente encontro autoras que conseguem escrever narrativas envolvendo cotidianos comuns de forma tão completa e envolvente.
 Depois do grande sucesso de Pequenas grandes mentiras, livro que deu origem à mini-série da HBO Big Little Lies, Liane Moriarty volta com outra história que mostra a repercussão de um episódio assustador que começou em um simples churrasco de domingo. Quer saber o que achei da leitura? Então confira a resenha de Até que a culpa nos separe:

“Amigas de infância, Erika e Clementine não poderiam ser mais diferentes. Erika é obsessivo-compulsiva. Ela e o marido são contadores e não têm filhos. Já a completamente desorganizada Clementine é violoncelista, casada e mãe de duas adoráveis meninas. Certo dia, as duas famílias são inesperadamente convidadas para um churrasco de domingo na casa dos vizinhos de Erika, que são ricos e extravagantes.
Durante o que deveria ser uma tarde comum, com bebidas, comidas e uma animada conversa, um acontecimento assustador vai afetar profundamente a vida de todos, forçando-os a examinar de perto suas escolhas - não daquele dia, mas da vida inteira.
Em Até que a culpa nos separe, Liane Moriarty mostra como a culpa é capaz de expor as fragilidades que existem mesmo nos relacionamentos estáveis, como as palavras podem ser mais poderosas que as ações e como dificilmente percebemos, antes que seja tarde demais, que nossa vida comum era, na realidade, extraordinária.”




FICHA TÉCNICA

Título: Até que a culpa nos separe
Autora: Liane Moriarty
Ano: 2017
Páginas: 461
Idioma: Português
Editora: Intrínseca
Nota: 4/5
Compre: Amazon  / Saraiva
Comprando por esses links você ajuda e incentiva o Nostalgia Cinza





Até que a culpa nos separe segue a mesma linha de O segredo do meu marido e Pequenas grandes mentiras ao narrar a história em torno de três casais completamente diferentes. Alternando o ponto de vista entre os cônjuges, Liane Moriarty intercala presente e passado, sendo o presente oito semanas após o dia do churrasco e passado o fatídico dia.


Liane tem uma habilidade nata de prender o leitor desde a primeira página, construindo o suspense em torno de um único dia e trabalhando a narrativa de acordo com o desenrolar dos fatos. Apesar de não acontecer nada muito envolvente durante a narração do presente, é a forma como a autora termina os capítulos e trabalha o suspense que prende o leitor e faz com que passar as páginas seja algo instintivo. Ela faz crescer a curiosidade de forma que a leitura seja rápida mesmo sendo muito descritiva e analítica no que diz respeito à personalidade dos personagens.
Esse é outro ponto digno de ser mencionado. Liane Moriarty tem uma habilidade incrível de criar personagens complexos mesmo que eles sejam as pessoas mais normais e comuns do mundo. Liane Moriarty consegue transformar a banalidade em algo extraordinário e digno de análise.
A história toda é contada de acordo com os pontos de vista de Erika e Oliver, Clementine e Sam, Tiffany e Vid e algumas narrações pontuais de personagens secundários.

“Mais tarde todos diriam: ‘Aconteceu tão depressa’. E acontecera rápido mesmo, mas ao mesmo tempo tudo desacelerara, cada segundo ficaram congelado numa imagem em cores vivas e inesquecíveis, iluminada por luzinhas douradas.”

Ao contrário das outras duas narrativas da autora que mencionei acima, em Até que a culpa nos separe não consegui me apegar a quase nenhum dos personagens, apenas à Dakota, a filha única de Tiffany e Vid que tem uma paixão imensurável por livros e que nutre uma sensibilidade tocante. A maioria dos personagens me deixou indignada ou irritada com suas ações e pensamentos, mas acho que esse é um dos pontos fortes da negativa. Sabe quando dizem: “se você ficou com raiva do ator x é porque ele cumpriu bem o papel dele”? Isso se encaixa aqui. Ao contrário de muitos autores que investem em personagens romantizados e perfeitos, Liane Moriarty consegue criar personagens tão reais que nos tocam.
Ela descreve os defeitos e falhas de cada um deles de forma que podemos nos identificar de alguma forma com pelo menos dois dos personagens centrais da narrativa. Seja a mulher que teve uma infância terrível e inveja a melhor amiga que teve uma vida perfeita e não parece grata por isso, a menina que acha que é responsável por acontecimentos que lhe fogem ao controle e se condena por isso, o homem que não consegue demonstrar seus sentimentos de forma coerente e acaba afetando seu relacionamento, uma mulher que não sente vergonha de seu passado, mas faz de tudo para que ele não afete o presente etc. Os personagens de Liane Moriarty são espelhos de uma realidade extremamente alcançável. 

“- E se simplesmente não tivéssemos ido? E se uma das meninas tivesse ficado doente, ou se eu tivesse precisado trabalhar, ou se você tivesse precisado trabalhar? Enfim, qualquer coisa que nos fizesse faltar o churrasco... Você pensa nisso?
Ela manteve os olhos fixos no maluco do veleiro.
Houve um silêncio longo demais.
Ela queria que ele disse: Claro que penso nisso. Todos os dias, aliás.
- Mas nós fomos [...]. Nós fomos, não é?”

A única razão para que eu não tenha ficado tão envolvida nessa história como nas anteriores foi o ritmo de leitura. Não devorei esse livro como fiz com os anteriores e demorei um pouco para lê-lo. Apesar da autora conseguir terminar os capítulos da melhor forma possível buscando atrair o leitor para o que está por vir, senti falta de acontecimentos mais quentes e entusiasmantes ao longo dos capítulos.
Apesar disso, continuo impressionada com a capacidade que Liane Moriarty tem de criar narrativas redondinhas. Cada detalhe mencionado ao longo da história tem papel fundamental para a construção da narrativa que é concluída sem pontas soltas. Liane escreve livros que seguem bem seu objetivo e não ficam enrolando ou guardando elementos para uma possível continuação. Gosto de livros pontuais, daqueles que podemos comprar para nos entreter e que concluem uma história da forma mais perfeita possível.
Até que a culpa nos separe é um livro para quem procura uma narrativa inteligente e madura, que trabalha os dilemas familiares de forma humana e extremamente real. É uma história para todos aqueles que gostam de apreciar uma boa leitura e procuram algum livro para passar o tempo.
Se você gostou da resenha e quer conhecer outro livro incrível de Liane Moriarty, confira a resenha de Pequenas grandes mentiras, livro que deu origem à série Big Little Lies, da HBO.


“Erika se virou de costas para esconder o sorriso. Examinou a luz do sol brilhando na árvore com gotas de chuva. Estava muito bonito. Lembrava uma árvore de Natal.
Inclinou a cabeça para trás, curtindo o sol em seu rosto, e viu uma mulher que morava do outro lado da rua, a que amava Jesus, mas com certeza não amava Sylvia. Estava na janela do segundo andar de sua casa, com uma das mãos no vidro, como se estivesse limpando. A mulher parecia olhar diretamente para Erika.
E de repente aconteceu. Erika se lembrou de tudo
.” 

Gostou da resenha? Já leu o livro ou ficou com vontade de ler? Então não esqueça de deixar uma curtida ou um comentário ;)

You Might Also Like

8 comentários

  1. Olá tudo bom?! Bem o livro parece tratar de assuntos bem delicados de um relacionamento, gostei da frase "como as palavras podem ser mais poderosas que as ações" porque eu acredito muito nisso sabe, você é aquilo que você profetisa na sua vida então as palavras tem muito poder! Em relação ao livro eu não conhecia, mas me interessei muito!!! Gostaria muito de saber o que acontece com esses três casais e como termina no final, bem vou ver se consigo encontra-lo em PDF porque na minha cidade não livraria infelizmente :/

    -Beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Stheffany! Tudo bem? Na saraiva tem o ebook, caso você queira compra-lo <3 http://compre.vc/v2/1990c356388

      Excluir
  2. Oi Laura! Não conheço a autora, mas pela sua resenha fiquei bem interessada em seus livros.

    estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cássia! Fico feliz, espero que leia e que goste <3

      Excluir
  3. achei ótima sua resenha vou até procurar para comprar esses livros aqui na minha cidade! Parabéns pelo trabalho! Good job

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz, Daniel! Me conta o que achou depois ;)

      Excluir
  4. Oi Laura!
    Lendo uma resenha dessas só fico mais na expectativa de ler os livros da Liane.Tenho dois dela aqui na estante,mas ainda não comecei a ler.Achi que mês que vem consigo pegar algum deles pra ler.
    Além de ser um suspense,é bom saber que ela sabe trabalhar com os personagens e deixar o leitor preso até a última página.
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cláudio! Fico muito feliz que tenha gostado da resenha, de verdade! Espero que leia e não deixa de me contar o que achou depois, hein? ;)

      Excluir

recent posts

Like us on Facebook

Twitter