Resenha: Coragem

by - 14:15


Em 2017, um burburinho em Hollywood se tornou um escândalo que cresceu até se tornar um movimento. Você deve ter ouvido falar do movimento #MeToo, que deu voz a centenas de atrizes norte-americanas que confessaram anos de abuso e assédio por parte do alto escalão da indústria do entretenimento. "The Silence Breakers" conquistaram o mundo com sua coragem de denunciar os poderosos e, apesar do alívio em perceber que os olhos estão começando a se voltar para a seriedade do tema, é com muito pesar que recebemos todas as notícias e desabafos de mulheres que passaram pelo inimaginável.

Entretanto, antes desse movimento, algumas mulheres começavam a preparar o terreno para o alvoroço muito necessário causado pelas denúncias. Rose McGowan é uma dessas mulheres. Conhecida por suas polêmicas, Rose é porta-voz de movimentos pelas minorias e, infelizmente, entra na lista de mulheres feridas por Hollywood e seus poderosos. Em CORAGEM ela escancara a porta de sua vida e convida o leitor a conhecer os bastidores de uma indústria até pouco tempo inabalável. Com reflexões e relatos, Rose escreve uma autobiografia doída, mas extremamente necessária. Conheça a história dessa mulher incrível e entenda por que CORAGEM é um livro imprescindível na sua estante. 

"Rose McGowan se tornou uma das atrizes mais desejadas de Hollywood da noite para o dia quando foi "descoberta" nas ruas de Los Angeles. O estrelato logo se tornou um pesadelo de exposição constante e sexualização. Todos os detalhes de sua vida pessoal se tornaram públicos, e as realidades de uma indústria inerentemente machista emergiam a cada roteiro, papel, aparição pública e capa de revista.Hollywood esperava que Rose ficasse quieta e cooperasse. Em vez disso, ela se rebelou e impôs sua verdadeira identidade e voz.
Ela reemergiu sem roteiros nem desculpas, corajosa, controversa e sempre verdadeira. Liderando o movimento de denúncias de assédio sexual na indústria de entretenimento ao expor os crimes de Harvey Weinstein, Rose é hoje um dos rostos do movimento feminista e não hesita ao disparar verdades inconvenientes e exigir mudanças.CORAGEM é seu livro de memórias em forma de manifesto - um relato sem censura nem piedade da ascensão de um ícone millennial, uma ativista sem medo e uma força de mudança imparável determinada a expor a verdade sobre a indústria do entretenimento, trazer à luz uma indústria multibilionária construída sobre a misoginia sistêmica e empoderar pessoas ao redor do mundo a acordarem e terem CORAGEM."


FICHA TÉCNICA 
Título: Coragem
Autora: Rose McGowan
Ano: 2018
Páginas: 288
Idioma: Português 
Editora: HarperCollinsBrasil
Nota: 5/5
Compre: Amazon
Comprando por esses links você ajuda e incentiva o Nostalgia Cinza
LIVRO CEDIDO EM PARCERIA COM A EDITORA



Desde a primeira página foi possível perceber que não seria um livro fácil, um livro comum. Rose começa falando sobre como o cabelo comprido guarda uma mística em Hollywood, o que já explica de cara a importância do cabelo sendo raspado na capa. Apesar de sentir que o padrão de cabelo comprido, imposto pela mídia como referência de beleza e sexualidade, escondia quem ela realmente era, ela era obrigada a se limitar a esse elemento caso quisesse continuar sendo uma atriz requisitada. "Me diziam que eu precisava ter cabelo comprido, caso contrário, os homens que contratavam em Hollywood não iam querer me comer, e se eles não quisessem me comer, não me contratariam. Ouvi isso da minha agente, uma mulher, o que é trágico em muitos níveis". É assustador perceber a realidade de forma tão crua.

Logo na apresentação ela já joga verdades a respeito da produção de conteúdo de Hollywood e como isso nos afeta em níveis que não gostamos e não tentamos pensar a respeito. Em determinado ponto ela diz que aqueles trocados que gastamos para pagar uma sessão de cinema nos custam mais caro do que pensamos porque os conteúdos produzidos de forma "inocente" pelos estúdios moldam a forma como pensamos e, principalmente, como vemos a nós mesmos, principalmente nós mulheres. Porque passamos a desejar ser como os atores que admiramos, a pensar como somos levados a pensar, a tentar parecer como quem vemos nas telas. Ela diz que não estamos pagando um filme com dinheiro, estamos pagando com nossa mente.

"Minha vida, como você vai ler, me levou de um culto perigoso a outro, o maior culto de todos: Hollywood. E digo isso porque, com exceção da bomba nuclear, nada tem alcance mais amplo do que Hollywood. CORAGEM é a história de como lutei para sair desses cultos e retomei minha vida. Quero ajudar você a fazer a mesma coisa." Página 17

Durante toda a leitura, é como se estivéssemos sentados em uma plateia ouvindo Rose palestrar e militar de forma intensa, crua, pura e incrivelmente honesta. É um livro cheio de posicionamentos fortes de quem passou por muita coisa e foi repreendida por tentar ser alguém fora do padrão tido como certo ou bonito aos olhos de Hollywood.


Rose passa os primeiros capítulos contando sua experiência sendo parte de uma seita da qual ela nunca quis fazer parte. Ela cresceu em meio a uma seita chamada Meninos de Deus, onde sofreu incontáveis agressões físicas, psicológicas e mentais em nome da religião. Por conta de escolhas de seus pais, ela foi obrigada a aturar tudo sem poder falar qualquer coisa sequer. Desde o começo do livro é impossível não se sentir enojada com os pais de Rose por terem permitido que sua filha sofresse tudo o que sofreu e, mais, por contribuírem para isso. A mãe completamente indiferente e o pai extremamente violento e abusivo definiram a forma com a qual Rose se relacionaria com as pessoas pelo resto de sua vida.

É difícil passar as páginas e ler todos os abusos sofridos por ela sem sentir um misto de raiva, indignação e impotência. Dói em qualquer um com o mínimo de empatia ler todos os absurdos que Rose descreve e saber que tantas pessoas puderam impedir todos esses abusos e nada fizeram. É difícil aceitar o fato de que Rose, desde cedo, precisou se virar para não ser engolida por um mundo cruel, inescrupuloso, machista e nojento.


Já não bastasse fazer parte da parcela de mulheres assediadas diariamente no mundo, Rose precisou conviver com a violência contra a mulher desde cedo em todas as instâncias de sua vida. O livro de Rose é um punho cerrado de pura coragem. O título do livro faz jus à trajetória de Rose. E como faz...

"Minha vida sempre foi de extremos. CORAGEM, este livro, não foi diferente. Enquanto o escrevia, tolerei invasões, perseguições, espionagem. Partes do texto foram roubadas. Espiões israelenses e advogados abusivos, alguns dos melhores do mundo, infiltraram-se em minha vida. Essas pessoas do mal me acossaram em muitas oportunidades enquanto eu seguia ressuscitando os fantasmas que têm tomado meu tempo na Terra. Só posso dizer que foi um ato extremamente estressante, um ato de extremo equilíbrio que exigiu muita estratégia de minha parte. Não tive escolha. A justiça seria feita." Página 9.

É triste perceber como todos os abusos sofridos por ela aconteceram enquanto Rose estava apenas tentando encontrar sua liberdade e sua felicidade, mesmo ela chegando ao ponto de sequer entender o que é ser feliz de verdade. Seja na seita enquanto ela tentava entender o que é ser amada e acabava sendo agredida e espancada por não acreditar na forma como eles insistiam ser a verdadeira fé, seja na primeira vez que conseguiu ir para escola e acabou sendo vítima de comentários grosseiros e uma exclusão sem sentido, seja quando buscava conforto nos pais e acabava vítima de padrastos desumanos e até mesmo do pai monstruoso, seja em Hollywood quando acreditou que estava tomando as rédeas da vida e acabou caindo na armadilha dos homens poderosos e agressores que tiram proveito das mulheres pelo simples fato de serem mulheres.


Não é fácil ler um relato em primeira mão de uma mulher que sofreu abusos nos mais diversos níveis, principalmente quando ela relata do que viu e sentiu em Hollywood onde, teoricamente, existiriam pessoas poderosas com capacidade de protegê-la e inteligentes o suficiente para entendê-la. Quando ela foi estuprada por um famoso diretor de estúdio, ela procurou ajuda, correu atrás de meios de expor seu agressor e fazê-lo pagar pelo que fez com ela e com outras jovens que passaram pela mesma coisa.

Como se o estupro não fosse uma violência intensa o suficiente, ela precisou ouvir de todos que isso era comum, que ela não conseguiria nada tentando culpá-lo, que sua carreira acabaria ali e a dele continuaria intacta, que ela sabia de alguma forma onde estava se metendo e muitos outros "conselhos" que eram novas violências. É assustador perceber como o assédio é tão naturalizado e banalizado, e ainda mais assustador ainda, é perceber que quem é conivente é quase tão culpado quanto quem agride, porque são essas pessoas que permitem que o assédio continue se alastrando, são essas pessoas que permitem que o assédio não seja levado a sério da forma como precisa. Como se ainda não bastasse tudo isso, ela começa a ser perseguida no ramo apenas por se recusar a se calar diante das atrocidades que vê e sofre.

Rose também faz uma crítica certeira ao estupro como recurso de fortalecimento de personagens femininas. É muito comum ver protagonistas femininas sendo assediadas e violentadas com a desculpa de que aquilo deixará a personagem mais forte, como se apenas esse recurso fosse capaz de enaltecer o desenvolvimento de uma personagem feminina. Como muitas atrizes sofreram assédios reais, Rose pontua o fato de que elas acabam sendo obrigadas a reviver esse assédio em frente às caras e ainda tendo que ficar "gostosas" para o público.

CORAGEM é um livro extremamente necessário, independente de gênero. Mesmo que a leitura seja carregada de emoção e crítica, é um livro que abre os olhos para a realidade, ao invés de mascará-la com o charme da indústria do entretenimento. Enquanto a maior parte das pessoas só enxerga o lado glamuroso de Hollywood, Rose mostra o que o ramo tem de pior e, o mais importante, o que tem de verdadeiro.

Se você gostou da resenha e quer conhecer mais um livro incrível, confira a resenha de Viva a vagina!


"Desde que eu e tantas outras sobreviventes corajosas começamos a falar, gigantes de todas as indústrias caíram. Nós, sobreviventes, ganhamos poder. Nós, sobreviventes, estamos usando nossa voz como nunca antes. Não podemos abrandar e, por mais difícil que seja, devemos continuar a falar ainda mais alto, a seguir com ainda mais força. Todas contam. Todas importam. À liberdade, sua e minha. Agora, vamos cuspir fogo." Página 10




Quer ficar por dentro de todos os posts do Nostalgia Cinza? Então assine a newsletter! É só colocar seu email, prometo não encher sua caixa de entrada <3

You May Also Like

9 comentários

  1. Gostei da sua indicação de leitura. É um livro que merece a reflexão.
    big beijos

    ResponderExcluir
  2. Amei seu post, bem completo!
    Muito bom esse livro, amei a sinopse dele e a temática me chamou muito a atenção.
    Já coloquei na minha lista de leitura. Beijos!♡

    ResponderExcluir
  3. OLá tudo bom? Autobiografia são interessantes, ainda mais quando vem com temas de superações pessoais, ajuda a dá um empurrão em quem "desistiu" de viver seja lá por qual motivo, ler superações é muito bom, mostra que há saída, por mais difícil que seja. Seu poste é bem completo e rico em detalhes do livro, gostei das imagens e da sua maneira de escrever. Muito bom, já coloquei na lista de leituras. Bjus Isa Miranda

    ResponderExcluir
  4. Oi.
    Tudo bom?
    Sinceramente não sei se leria esse livro, pois pela sua resenha vi como ele é bem forte, fico imaginando tudo o que ela passou.
    Ótima resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá!Gostei da indicação e a resenha,bem elaborada.
    O titulo já fala por si próprio"Coragem"apesar de tanto sofrimento e obstáculos,essa história com certeza nos passa uma boa reflexão.Bjss

    ResponderExcluir
  6. Pelo tema já percebemos que não será um livro fácil, mas ao mesmo tempo entendemos que é um livro necessário nos dias de hoje. Infelizmente essas coisas acontecem e é preciso que todos saibam. Chega disso. Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  7. Várias pessoas já me indicaram essa obra! Tenho muita curiosidade, está na minha fila de leitura!

    ResponderExcluir
  8. É uma historia muito forte e marcante na vida de uma pessoa, realmente precisa coragem.
    O estrupo em todas suas formas para mim é a maior agressão que uma mulher pode sofrer.
    Li sua resenha e sofri com a historia, com certeza não gostaria de ler esse livro.
    Bjinhos,
    www.prosaamiga.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá tudo bem ? Gosto de história s de auto superação apesar de está auto biografia ser um tanto triste coloquei em minha lista de leituras.bjsss

    ResponderExcluir